segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Mundo cão... tatu, cabrito...

"Comer tatu é bom... Que pena que dá dor nas costas... Porque o bicho é baixinho... E é por isso que eu prefiro as cabritas", dizia a canção Mundo Animal da extinta banda de rock-humorístico dos anos 90 Mamonas Assassinas...
Pois é... mas se você achava que isso era só piada, não faz ideia de que em alguns rincoes desse país essas piadas podem se tornar a mais abominavel e doentia realidade.

Estudo inédito realizado por médico do Hospital A.C.Camargo mostra que quatro entre dez homens (40%) que vivem em zonais rurais no país já tiveram uma ou mais relações sexuais com animais. A prática é responsável por dobrar o risco de câncer de pênis.
A pesquisa, liderada pelo urologista Stênio de Cássio Zequi, será publicada na próxima edição do periódico Journal of Sexual Medicine.

Os pesquisadores isolaram fatores que poderiam elevar o risco de câncer e levá-los a uma conclusão errada. Foram avaliados, além de sexo com animais, critérios como raça, idade, idade da primeira relação sexual, história de doença sexualmente transmissível, lesões penianas pré-malignas, fimose e circuncisão, idade da circuncisão, número de parceiros sexuais, tabagismo e história de sexo com prostitutas.

Uma das possíveis explicações para a associação entre câncer de pênis e sexo com animais, segundo o urologista, é o fato de que a mucosa genital do animal é bastante queratinizada, ou seja, mais dura que a humana, podendo causar traumas. Outra hipótese é a existência de elementos tóxicos na secreção animal ou de micro-organismos capazes de infectar o ser humano. O especialista ressalta, no entanto, que estas possíveis causas são especulações e ainda não é possível afirmar se há um ou mais vírus ou microrganismos específicos envolvidos no processo, nem se a prática pode causar danos às mulheres com quem esses homens se relacionam.

Frequência
Zequi e os demais pesquisadores identificaram, dentre outras coisas, que homens que praticam sexo com animais têm mais DSTs. Ainda segundo o trabalho, o tempo de duração e o numero de animais envolvidos mostra que a prática é mais comum no Nordeste do país e que lá predominam equinos. Já no Sudeste, caprinos e galináceos.

A periodicidade da prática de sexo com animais variou. Um único episódio na vida foi apontado por 14% dos entrevistados. Duas vezes ao mês (17%), uma vez por mês (15,2%), uma vez por semana (10,5%), três vezes por semana (10%), duas vezes por semana (9,4), diariamente (4,1%), dia sim/dia não (5,3%).

A duração do comportamento de sexo com animais durou menos de um ano para 34 indivíduos (19,9%); um a 26 anos (80,1%). A duração mais comum foi de 1 a 5 anos (reportada por 59% dos entrevistados). Já sexo com animais junto com um grupo de homens foi reportado por 29,8% dos entrevistados. Todas as entrevistas foram realizadas pessoalmente.

Embora raro (2,9 a 6,8 casos por 100 mil habitantes), o câncer de pênis costuma provocar mutilações. Levantamento recente da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) aponta que são amputados, todos os anos, mais de mil pênis no país. As principais causas já conhecidas até então são falta de higiene e presença de fimose, pois estão associadas com acúmulo de secreções na glande ou em outras regiões do pênis, causando assim uma inflamação crônica que pode desencadear o tumor.

Tabu
A doença é mais incidente nas regiões mais pobres e, consequentemente, com menor acesso às informações sobre prevenção de câncer. Há também barreiras importantes, como o tabu do homem ir ao médico.

O pesquisador ressalta, no entanto, que sexo com animais não é um hábito exclusivo dos mais pobres, observa o especialista. “A internet dissemina esta prática também nos países desenvolvidos. Seja por curiosidade, seja por prazer, seja por doença psiquiátrica, isso ocorre. Quebrar o tabu é a melhor forma de reduzir seus danos. Acreditamos nisso”.

O estudo reuniu pesquisadores de 16 centros que tratam câncer em doze cidades brasileiras: Unicamp, Santa Casa de São Paulo, Unifesp, Hospital de Câncer de Barretos, Hospital do Câncer do Piauí, Hospital do Câncer do Maranhão, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Hospital Napoleão Laureano da Paraíba, Fundação Hospitalar do Acre, Universidade Federal de Minas Gerais, Universidade Federal do Paraná, Hospital da Aeronáutica de São Paulo e também unidades de Carapicuíba e Itapevi.

com informações da Folha de S. Paulo

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

DIRETAS JÁ!!





Fora Mustafá e conselheiros que insistem em manter o Palmeiras sem democracia e tentam instalar uma ditadura corrupta no clube!


Presidente Tirone, decrete eleições Diretas Já!


Conselho, aprove as Diretas Já!


Democracia já!


Voto para todos socios e sócios-torcedores já!


Eleições diretas para presidente já!!!


Eu apoio essa campanha.



terça-feira, 4 de outubro de 2011

Itaquerão, quem não sabia?

As declarações de Andres Sanchez à revista Época comprovam o que vinha sendo dito pelo Blog desde outubro de 2010.
Aliás, tudo o que foi publicado aqui sobre o estádio tem sido comprovado.
Primeiro, nunca existiu o tal”patrocinador” que Rosemberg dizia, seria anunciado em outubro, fevereiro, maio….
O presidente do Corinthians deixou claro o papel do marketing:
“O Luis Paulo cuidou do parafuso da ruela”.
Quem lê o Blog sabia que nenhuma empresa privada viabilizaria o estádio com “namming rights”. A conta não fechava. Só fecharia com dinheiro público e empreiteira ligada ao governo. No futuro é claro que haverá patrocinadores, provavelmente empresa estatal ou ligada a FIFA, mas nunca para viabilizar a construção bilionária.
Segundo, o estádio foi viabilizado pela dupla Lula/Odebrecht e custará mais de R$ 1 bilhão.
Sanchez confirmou como foi viabilizada a operação e qual o verdadeiro custo do estádio:
“Quem fez o estádio fui eu e o Lula. Garanto que vai custar mais de R$ 1 bilhão. Ponto. A parte financeira ninguém mexeu. Só eu, o Lula e o Emílio Odebrecht (presidente do Conselho de Administração da Odebrecht).
Repórter: – O dia em que essa história vier a público, vai ficar feio para quem?
“Não vai ficar feio pra ninguém. Vai ficar, talvez, não imoral, mas difícil para o Lula.
”
Repórter: – Por quê?
“Porque vão falar: Pô, como é que uma empreiteira se submete a fazer isso? Por que o presidente pediu?”.
Depois que a Época foi publicada, Andres Sanchez assinou nota no site do clube tentando desmentir a revista, mas mentira tem perna curta. A entrevista foi gravada e disponibilizada à imprensa. No site da Época você encontra o áudio original:
http://colunas.epoca.globo.com/politico/2011/10/01/a-entrevista-de-andres-sanchez-a-epoca/
Pois é, quem lê o Blog sempre soube que o estádio custaria mais de R$ 1 bilhão.
Eu hein, parece coisa de “gangster”.


Fonte: Blog do Fernando Sampaio

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Contra tsunami, Japão cria versão moderna da "Arca de Noé"

A empresa japonesa Japan's Cosmo Power criou uma cápsula feita de fibra de vidro reforçada para que as pessoas possam se abrigar em caso de uma catástrofe natural, como um tsunami. No formato de uma bola de tênis, a versão moderna da "Arca de Noé" flutua na água e pode abrigar até quatro pessoas.





A versão moderna da "Arca de Noé" possui até mesmo uma pequena janela.



O presidente da Japan's Cosmo Power, Shoji Tanaka, afirma que a "Arca de Noé" já passou por diversos testes de colisão. Cerca de 600 encomendas do produto já foram feitas no Japão por clientes interessados.
















Fonte: Associated Press

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Essencial para entender a crise nos EUA

Classe média dos EUA foi assassinada há 30 anos

Ótimo texto do ótimo e sempre preciso cineasta, escritor e ativista político Michale Moore, que põe o dedo na ferida na hora certa. Espero que no Brasil nós nunca aceitemos a dminuição dos direitos trabalhistas conquistados, como a CLT. Vou tentar achar uma tradução... enquanto isso, aproveite para treinar seu inglês... rsrs

30 YEARS AGO TODAY: THE DAY THE MIDDLE CLASS DIED
By Michael Moore
From time to time, someone under 30 will ask me, "When did this all begin, America's downward slide?" They say they've heard of a time when working people could raise a family and send the kids to college on just one parent's income (and that college in states like California and New York was almost free). That anyone who wanted a decent paying job could get one. That people only worked five days a week, eight hours a day, got the whole weekend off and had a paid vacation every summer. That many jobs were union jobs, from baggers at the grocery store to the guy painting your house, and this meant that no matter how "lowly" your job was you had guarantees of a pension, occasional raises, health insurance and someone to stick up for you if you were unfairly treated.

Young people have heard of this mythical time -- but it was no myth, it was real. And when they ask, "When did this all end?", I say, "It ended on this day: August 5th, 1981."
Beginning on this date, 30 years ago, Big Business and the Right Wing decided to "go for it" -- to see if they could actually destroy the middle class so that they could become richer themselves.
And they've succeeded.

On August 5, 1981, President Ronald Reagan fired every member of the air traffic controllers union (PATCO) who'd defied his order to return to work and declared their union illegal. They had been on strike for just two days.

It was a bold and brash move. No one had ever tried it. What made it even bolder was that PATCO was one of only three unions that had endorsed Reagan for president! It sent a shock wave through workers across the country. If he would do this to the people who were with him, what would he do to us?

Reagan had been backed by Wall Street in his run for the White House and they, along with right-wing Christians, wanted to restructure America and turn back the tide that President Franklin D. Roosevelt started -- a tide that was intended to make life better for the average working person. The rich hated paying better wages and providing benefits. They hated paying taxes even more. And they despised unions. The right-wing Christians hated anything that sounded like socialism or holding out a helping hand to minorities or women.
Reagan promised to end all that. So when the air traffic controllers went on strike, he seized the moment. In getting rid of every single last one of them and outlawing their union, he sent a clear and strong message: The days of everyone having a comfortable middle class life were over. America, from now on, would be run this way:

* The super-rich will make more, much much more, and the rest of you will scramble for the crumbs that are left.
* Everyone must work! Mom, Dad, the teenagers in the house! Dad, you work a second job! Kids, here's your latch-key! Your parents might be home in time to put you to bed.
* 50 million of you must go without health insurance! And health insurance companies: you go ahead and decide who you want to help -- or not.
* Unions are evil! You will not belong to a union! You do not need an advocate! Shut up and get back to work! No, you can't leave now, we're not done. Your kids can make their own dinner.
* You want to go to college? No problem -- just sign here and be in hock to a bank for the next 20 years!
* What's "a raise"? Get back to work and shut up!

And so it went. But Reagan could not have pulled this off by himself in 1981. He had some big help:
The AFL-CIO.
The biggest organization of unions in America told its members to cross the picket lines of the air traffic controllers and go to work. And that's just what these union members did. Union pilots, flight attendants, delivery truck drivers, baggage handlers -- they all crossed the line and helped to break the strike. And union members of all stripes crossed the picket lines and continued to fly.

Reagan and Wall Street could not believe their eyes! Hundreds of thousands of working people and union members endorsing the firing of fellow union members. It was Christmas in August for Corporate America.

And that was the beginning of the end. Reagan and the Republicans knew they could get away with anything -- and they did. They slashed taxes on the rich. They made it harder for you to start a union at your workplace. They eliminated safety regulations on the job. They ignored the monopoly laws and allowed thousands of companies to merge or be bought out and closed down. Corporations froze wages and threatened to move overseas if the workers didn't accept lower pay and less benefits. And when the workers agreed to work for less, they moved the jobs overseas anyway.

And at every step along the way, the majority of Americans went along with this. There was little opposition or fight-back. The "masses" did not rise up and protect their jobs, their homes, their schools (which used to be the best in the world). They just accepted their fate and took the beating.

I have often wondered what would have happened had we all just stopped flying, period, back in 1981. What if all the unions had said to Reagan, "Give those controllers their jobs back or we're shutting the country down!"? You know what would have happened. The corporate elite and their boy Reagan would have buckled.

But we didn't do it. And so, bit by bit, piece by piece, in the ensuing 30 years, those in power have destroyed the middle class of our country and, in turn, have wrecked the future for our young people. Wages have remained stagnant for 30 years. Take a look at the statistics and you can see that every decline we're now suffering with had its beginning in 1981 (here's a little scene to illustrate that from my last movie).

It all began on this day, 30 years ago. One of the darkest days in American history. And we let it happen to us. Yes, they had the money, and the media and the cops. But we had 200 million of us. Ever wonder what it would look like if 200 million got truly upset and wanted their country, their life, their job, their weekend, their time with their kids back?

Have we all just given up? What are we waiting for? Forget about the 20% who support the Tea Party -- we are the other 80%! This decline will only end when we demand it. And not through an online petition or a tweet. We are going to have to turn the TV and the computer and the video games off and get out in the streets (like they've done in Wisconsin). Some of you need to run for local office next year. We need to demand that the Democrats either get a spine and stop taking corporate money -- or step aside.

When is enough, enough? The middle class dream will not just magically reappear. Wall Street's plan is clear: America is to be a nation of Haves and Have Nothings. Is that OK for you?
Why not use today to pause and think about the little steps you can take to turn this around in your neighborhood, at your workplace, in your school? Is there any better day to start than today?

P.S. Here are a few places you can connect with to get the ball rolling:

Main Street Contract for AmericaShowdown in AmericaDemocracy ConventionOccupy Wall StreetOctober 2011How to Join a Union by the AFL-CIO (they've learned their lesson and have a good president now) or UEChange to WinMoveOnHigh School Newspaper (Just because you're under 18 doesn't mean you can't do anything!)

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Uma salma de palmas pra Jesuisss

Na TV, pastor inova e cria o dízimo no débito automático


Não é por falta de criatividade que as igrejas deixarão de arrecadar dinheiro dos seus fiéis. Maior exemplo de inovação é o missionário R.R.Soares, líder da Igreja Internacional da Graça, que acaba de lançar uma nova modalidade de coleta de dízimo, por meio de débito automático em conta-corrente.


Segundo Soares divulgou em seu programa na Band, o membro da igreja poderá fazer suas doações mensalmente de forma mais prática. Para isso o fiel deve preencher um cadastro nos sites da igreja e passar seus dados bancários. É o doador, afirma Soares, quem decide quanto quer doar. Quem se cadastrar, diz ele, ganha "um brinde de Jesus", sem dizer o que é.


O missionário garante ainda que, se por acaso o doador não tiver saldo num determinado mês para dar o dízimo automático, ele não será debitado e "o fiel não será incluído no SPC ou no Serasa". A doação mensal voltará a ser debitada no mês seguinte, sem acumular a que não foi paga. Para criar o "dízimo em conta corrente", a Igreja Internacional da Graça firmou parceria com Itaú, Banco do Brasil e Bradesco.

"Heaven Card"
Além do dízimo automático, o pastor R.R.Soares também lançou o cartão de crédito da Igreja Internacional da Graça de Deus. Entre outras vantagens, o cartão permite pagar as compras "em até 40 dias, financiar no crédito rotativo e fazer saques de emergência no Brasil e exterior".
Segundo a igreja, o cartão "é mais uma forma de você contribuir com as ações e obras sociais da igreja". Além da Internacional da Graça, a Universal e a Mundial também aceitam o pagamento de dízimos e doações por meio de cartão de crédito e débito. As operações são legais.


Romildo Ribeiro Soares, 64, é cunhado de Edir Macedo (casado com a irmã de Macedo, Maria Magdalena) e co-fundador da Igreja Universal do Reino de Deus. Deixou o parente por suposta divergência no final dos anos 70 e criou sua própria igreja em 1980.
Sua igreja tem negócios com várias emissoras, de quem compra horários, e também é proprietária de uma operadora de TV paga, cujos pacotes não oferecem nenhum canal que exiba cenas de violência, erotismo ou tenha linguajar chulo.



quinta-feira, 2 de junho de 2011

Amizade tricolor


Como em 'Bambi', filhote órfão de veado faz amizade com coelho nos EUA
Animais se tornaram inseparáveis após dona de coelho resgatar o filhote em floresta, junto à mãe morta

Numa demonstração de que muitas vezes a vida imita a arte, um filhote de veado órfão, batizado de Bambi, fez amizade com um coelho, numa repetição da história do clássico de Walt Disney. O filhote de veado foi encontrado pela americana Svetlana Harper, de 35 anos. Ele achou o animal ao lado de uma estrada quando voltava para casa em uma noite chuvosa. Segundo ela, ele estava paralisado e se mantinha ao lado da mãe morta. Harper então o levou para casa em Montana, nos Estados Unidos, e decidiu batizá-lo com o nome do personagem órfão do desenho animado.


Após alguns dias sob os cuidados da nova dona, ele passou a se aventurar pelo jardim da casa, onde conheceu os demais animais de Harper - cachorros e coelhos. "Alguns dos animais começaram a se interessar por ele. Mas o Bambi estava mais interessado no Ben, meu coelho que é a cara do Tambor (coelho personagem do desenho animado que é um dos amigos de Bambi)", conta Harper. "Eles logo se tornaram inseparáveis. Era muito engraçado e fez todo mundo rir", diz. Harper foi obrigada a soltar Bambi no bosque quando ele ficou muito grande para sua casa, mas ela diz que ele retorna com frequência para visitar seu amigo coelho.


Fonte: BBC Brasil

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Peidar em público agora é crime em país africano


Em meio a tantos tumultos pelo mundo, é reconfortante saber que ao menos um país tem suas prioridades legais bem definidas para 2011.
O Malawi, país africano que ficou famoso quando Madonna adotou uma criança nascida ali, aprovou novas leis que têm o objetivo de “formar cidadãos responsáveis e disciplinados”.
Entre as novas leis propostas pelo governo de Bingu wa Mutharika (foto), sem dúvida a mais curiosa é a que torna ilegal peidar em público. Sendo assim, emitir gases em público deixa de ser uma situação deselegante e passará a ser considerado crime. Quem desobedecer, terá um registo criminal por flatulência.
No pacote, há também punição legal prevista para quem perturbar assembleias religiosas, invadir um cemitério, insultar a honra de uma mulher, portar armas ilegais ou iniciar um duelo.
Contudo, a lei anti-gases gerou maior polêmica pela dificuldade de provar o “crime”, especialmente em locais com grande concentração de pessoas. Esse fato pode levar a julgamentos e condenações injustas devido à falta de prova material, além do relato de possíveis testemunhas. Também não ficou claro para a população qual a idade mínima para alguém ser preso por esse crime.

Um dos cidadãos do país entrevistado pela reportagem, resume bem o sentimento geral da população: “Temos muitos problemas sérios afetando o Malawi atualmente. Não creio que empestear o ar deva ser mais grave que [...] lidar com as desonestidades de alguns políticos, especialmente os que pertencem ao partido do governo”.

Fonte: Agências internacionais e PavaBlog

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Refrigerante de maconha será vendido nos EUA no próximo mês

Um refrigerante de maconha, o "Canna Cola", estará nas lojas do Estado americano de Colorado em fevereiro. Cada garrafa custará entre US$ 10 e US$ 15 e terá entre 35 e 65 miligramas de THC (tetrahidrocanabinol), o principal ingrediente psicoativo do cannabis, o gênero botânico utilizado para produzir haxixe e maconha. As informações foram publicadas na revista americana "Time".
São 15 os Estados americanos onde o uso da maconha para fins medicinais é legal. No entanto, as condições para sua legalidade mudam de um lugar para o outro e maconha, independentemente do propósito, continua sendo ilegal pelas leis federais. Há um projeto de lei no Congresso assinado pela senadora Dianne Feinstein, conhecido como "Brownie Law", aprovado pelo Senado no ano passado. A proposta é aumentar as penas para os que fazem produtos que misturem maconha com "algo doce".

O criador do "Canna Cola" é o empresário Clay Butler, que assegura que nunca fumou maconha e que elaborou a bebida por "acreditar que os adultos têm o direito de pensar, comer, fumar, ingerir ou vestir o que quiserem", disse em entrevista à publicação "Santa Cruz Sentinel".
Além do sabor de cola, serão lançados, ao mesmo tempo, o de limão chamado "Sour Diesel", o de uva de nome "Grape Ape", o de laranja "Orange Kush" e, por fim, o inspirado na popular bebida Dr. Pepper, o "Doc Weed".
De acordo com Scott Riddell, criador da empresa que comercializará a bebida, os níveis de THC em "Canna Cola" serão menores que os de outras bebidas do mesmo tipo que já estão no mercado. O efeito no organismo é similar ao de uma "cerveja suave".

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Quem matou Totó?


Se tem uma novela que está com mais suspense do que Passione... é a novela Ronaldinho.

Mas parece que o próprio craque elaborou uma proposta que atenda a todos envolvidos e o empresário e irmão do astro, Assis, vai encaminhar aos clubes:


RONALDINHO QUER MORAR NO RIO, JOGAR NO GRÊMIO E RECEBER NO PALMEIRAS!