sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Eleições 2010: Pronunciamento da Aliança de Batistas do Brasil

A Aliança de Batistas do Brasil vem, por meio deste documento, reafirmar o compromisso histórico dos batistas, em todo o mundo, com a liberdade de consciência em matéria de religião, política e cidadania. A paixão pela liberdade faz com que, como batistas, sejamosum povo marcado pela pluralidade teológica, eclesiológica e ideológica, sem prejuízo de nossa identidade.

Dessa forma, ninguém pode se sentir autorizado a falar como “a voz batista”, a menos que isso lhe seja facultado pelos meios burocráticos e democráticos de nossa engrenagem denominacional.Em nome da liberdade e da pluralidade batistas, portanto, a Aliança deBatistas do Brasil torna pública sua repulsa a toda estratégia político-religiosa de “demonização do Partido dos Trabalhadores do Brasil” (doravante PT).

Nesse sentido, a intenção do presente documento é deixar claro à sociedade brasileira duas coisas: (1) mostrar que taisdiscursos de demonização do PT não representam o que se poderia conceber como o pensamento dos batistas brasileiros, mas somente um posicionamento muito pontual e situado; (2) e tornar notório que, como batistas brasileiros, as ideias aqui defendidas são tão batistas quanto as que estão sendo relativizadas.

Veja agora o o lamentável vídeo do "pastor" batista da 1ª Igreja Batista de Curitiba (Paschoal Piragine é o nome) dizendo para a igreja não votar no PT, pois compactuaria com a INIQUIDADE:



continuando
5. A Aliança de Batistas do Brasil se posiciona contra a demonizaçãodo PT, levando em consideração também que tal processo nega o legado histórico do Partido dos Trabalhadores na construção de um projeto político nascido nas bases populares e identificado com a inclusão e a justiça social.

Os que afirmam o nascimento de um “império da iniquidade”, com uma possível vitória do PT nas atuais eleições, “esquecem” o fundamental papel deste partido em projetos que trouxeram mais justiça para a nação brasileira, como, por exemplo: na reorganização dos movimentos trabalhistas, ainda no período da ditadura militar, visando torná-los independentes da tutela do Estado; na implantação e fortalecimento do movimento agrário-ecológico dos seringueiros do Acre pela instalação de reservas extrativistas na Amazônia, dirigido, na década de 1980, por Chico Mendes; nas ações em favor da democracia, lutando contra a ditadura militar e utilizando, em sua própria organização, métodos democráticos, rompendo com o velho “peleguismo” e com a burocracia sindical dos tempos varguistas; nas propostas e lutas em favor da Reforma Agrária ao lado de movimentos de trabalhadores rurais, sobretudo o MST; no apoio às lutas pelos direitos das crianças, adolescentes, jovens, mulheres, homossexuais, negros e indígenas; e na elaboração de estratégias, posteriormente transformadas em programas, de combate à fome e à miséria. Atualmente, na reta finaldo governo de Luiz Inácio Lula da Silva, vemos que muita coisa desseprojeto político nascido nas bases populares foi aplicado.

O governoLula caminha para seu encerramento apresentando um histórico designificativas mudanças no Brasil: diminuição do índice de desemprego,ampliação dos investimentos e oportunidades para a agricultura familiar, aumento do salário mínimo, liquidação das dívidas com o FMI, fim do ciclo de privatização de empresas estatais, redução da pobreza e miséria, melhor distribuição de renda, maior acesso à alimentação e à educação, diminuição do trabalho escravo, redução da taxa dedesmatamento etc. É verdade que ainda há muito a se avançar em várias áreas vitais do Brasil, mas não há como negar que o atual governo do PT na Presidência da República tem favorecido a garantia dos direitos humanos da população brasileira, o que, com certeza, não aconteceria num “império de iniquidade”.

Está ficando cada vez mais claro que os pregadores que anunciam dos seus púpitos o início de uma suposta amplitude do mal, numa continuidade do PT no Executivo Federal, são os que estão com saudade do Brasil ajoelhado diante do capital estrangeiro, produzindo e gerenciando miséria, matando trabalhadores rurais, favorecendo os latifundiários, tratando aposentados como vagabundos, humilhando os desempregados e propondo o fim da história.

Enfim, a Aliança de Batistas do Brasil vem a público levantar o seuprotesto contra o processo apelatório e discriminador que nos últimosdias tem associado o Partido dos Trabalhadores às forças da iniquidade. Lamentamos, sobretudo, a participação de líderes e igrejas cristãs nesses discursos e atitudes que lembram muito a preparação das fogueiras da inquisição.Maceió, 10 de setembro de 2010.

Pastora Odja Barros Santos - Presidente

Veja o texto completo no Site da Aliança de Batistas do Brasil

S@lcompimentas: Alguém deveria lembrar esse pastor batista de que isso não só é crime eleitoral, mas tamém espiritual. Transformar púlpito em palanque é uma das coisas que mais me enoja nos evangélicos atuais. Quer apoiar alguém? Apóie em sua casa, na rua, no banheiro (o lugar mais apropriado para fazer tanta merda)... mas não faça isso dentro da Igreja.
Isso é profanar a casa de Deus. Esse pessoal todo ainda vai ter de prestar contas no final de tudo... ah vai!
Lembre-se! Somente você deve decidir em quem vai votar. Ninguém mais! Nem pastor, nem presbítero, nem marido, nem pai... Vote em quem quiser, a escolha é sua. E se alguém criticar o seu voto (sem você pedir opinião), mande cuidar da própria vida.

Nenhum comentário: