quinta-feira, 18 de março de 2010

Prefeitura está organizado o Leonorduto: o Mensalão do Morumbi!!!!!


Começou a roubalheira...
A Prefeitura vai bancar a reforma no estádio do Morumbi para a Copa. Além de levar o metrô, doar um terreno público ao SPFC(para construir um estacionamento particular) e destruir uma praça pública, a novidade agora é que a própria administração municipal está demonstrando que irá 'tocar as obras' do estádio. Mais, acredite se puder: A Prefeitura vai até desviar o curso de um rio para tornar possível as obras no interior do estádio.

Depois de ter seu projeto de 'puxadinho do Morumbi para sediar a abertuda da Copa de 2014' rejeitado pela Fifa um zilhão de vezes, os dirigentes e abutres do time do Jardim Leonor avançaram sobre o dinheiro do povo.

Primeiro, foi a "doação" da Prefeitura ao SPFC de um terreno de 50 mil metros quadrados para o clube construi um prédio de estacionamento particular (isso numa região de zoneamento que não permite esse tipo construção). Depois, anunciaram levar o metrô para próximo do estadio e até criaram uma linha de VLT (aquele Veículo Leve sobre Trilhos, apelidado de Monotrilho) apenas para garantir o trajeto estação de metrô-estádio (o que vai acontecer com essa linha nos 95% de dias em que não acontecem jogos? Ficará desligada?).

A mais nova estripulia da corja corrupta, segundo matéria do diário Lance!(clique aqui para ver), é que a Prefeitura de São Paulo deve bancar a própria obra da reforma do Morumbi. Detalhe, tudo com o dinheiro dos impostos pagos por mim e você (legal, não?).

Ora, todos sabem que, para a aprovação de uma obra desse porte, é a construtora (e não o poder público) que deve dar contrapartidas públicas e realizar obras para melhorar o acesso e a situação do tráfego na região. Exemplo disso é a obra de ampliação do estádio do Palmeiras, cuja construtora deverá pagar milhões para readequar o sistema viário da região. Porém, curiosamente, no caso do Morumbi acontece o contrário. O poder público é que banca o projeto particular.

Ao que parece, a Prefeitura do senhor Kassab vai até desviar um córrego que passa embaixo do Morumbi, tudo para o estádio abrir a Copa (ou para beneficiar o time do coração?).

Parece mentira, mas é isso mesmo que estão lendo:
A PREFEITURA VAI FAZER OBRAS NO MORUMBI E VAI ATÉ DESVIAR UM RIO QUE HOJE PASSA EMBAIXO DO ESTÁDIO!!!!!

O objetivo de tal obra é desviar o curso do córrego para piscinões que serão construídos na região e possibilidar o rebaixamento do gramado em até 3 metros. As informações são do Estadão (clique aqui para ver).

Isso é um ABSURDO. Esse Kassab tem que ser preso...

Como disse Jesus aos fariseus, digo a essa corja de políticos safados: 'RAÇA DE VÍBORAS!!!!!!!!'

É incrível como o São Paulo Futebol Clube só consegue aumentar seu patrimônio graças ao seu lobby e aos "favores", corrupções e desvios do dinheiro público. Foi assim na época da construção do Morumbi (feito com dinheiro, sacos de cimento e trabalhadores do governo do Estado e num terreno público, graças à Laudo Natel) e está sendo assim agora com a organização de uma espécie de LEONORDUTO (em alusão ao Valerioduto) para canalizar recursos para a reforma e ampliação do estádio Cícero Pompeu de Toledo, mais conhecido como Panetone e que fica no Jardim Leonor.

A bancada sãopaulina na administração municipal, encabeçada pelo prefeito Kassab e seus comandados (o presidente da SPTuris, Caio de Carvalho, vereador Marco Aurélio Cunha e o secretário dos esportes, Walter Feldman) vem orquestrando um processo VERGONHOSO para beneficiar o SPFC, para alegria de Juvenal Juvêncio. O pior de tudo é que a maior parte da imprensa está inerte com tudo isso. Como se fosse normal, destinar a verba reservada para educação, saúde e habitação para reformar um estádio de futebol PRIVADO.

Dinheiro público no Morumbi, NÃO!!!!!!!!!

5 comentários:

Anônimo disse...

Voce deve ser uma porquinha rosa com vergonha do estadio que tem.
Onde está a 'Arena' palestra?
São todos invejosos porque escolheram o melhor estadio de SP pra realizar os trabalhos. A copa nao é do "pais".. nada mais justo que colocar dinheiro do 'pais' pra estadios.
construir um novo?... hahaha, so para gambazada ganha estadio como o botafogo? Se fosse na "sua' arena palestra vc escreveria isso?
Vai lamber sabao de soda seu loke

giba disse...

à Anônimo:
A Sociedade Esportiva Palmeiras tem um orgulho imenso do Palestra e o Sonho de naquele solo sagrado edificar a sua Arena, às suas custas. Com financiamento próprio junto a uma grande empreiteira privada cuja maior honra é não constar obras públicas em seu currículo.
Para tanto, o Palmeiras deverá pagar 6 milhões de reais à Prefeitura (CET) como compensação pelas obras da Arena que já iniciaram caso a senhora não saiba. Quanta isonomia no tratamento, não?
Portanto, a senhora deve dobrar sua lingua imunda quando se referir ao Palestra Itália, e tudo que lhe diga respeito.
Nada nos foi dado. Quem ganha é a corja do Jd. Leonor. O Palmeiras conquista! daí as dificuldades.
A Sociedade Esportiva Palmeiras pode até receber o apelido de "porco". Mas imundo e nojento é só esse clube de favores e de tolerância (putheiro) chamado SPFW.
Desculpe o desabafo, Saulo. Mas anônimo não vale nada, é porcaria, é covarde como o time que defende. Não deveria nem ser publicado.

Anônimo disse...

chora juntinho da bíblia, seu lixo

Thiago disse...

Que adulto Anônimo! Você assiste CQC e acha humor político também?

TRICOLOR SOBERANO disse...

PARA OS MITÔMANOS, INVEJOSOS E DESINFORMADOS EM GERAL… AULA DE HISTÓRIA ABAIXO, PROTAGONIZADA PELO MAIOR CLUBE DO PAÍS.

A SAGA TRICOLOR QUE DUROU 17 ANOS (1952 A 1969).

PEDRA FUNDAMENTAL LANÇADA EM 15 DE AGOSTO DE 1952, COM O MONSENHOR FRANCISCO BASTOS ABENÇOANDO O SOLO SAGRADO DO ESTÁDIO DO MORUMBI.

E QUE AINDA NÃO ESTÁ DESCARTADO PARA A COPA-2014! ALIÁS, COM OU SEM COPA, O PRINCIPAL ESTÁDIO DE SP SERÁ REFORMADO.

***

A GRANDE, ÉPICA, CURIOSA E VERDADEIRA HISTÓRIA DA CONSTRUÇÃO DO MORUMBI

“Se é para sonhar, que seja grande!”

Após a sua re-fundação em 1935 o SPFC que sempre pensou em ter seu estádio próprio. O improviso com o Campo da Antarctica Paulista, na Moóca, quando da fusão com o Estudantes em 1938 comprova o desejo do clube desde então. E em 1942 ele se associou ao clube alemão que alugava o Canindé. Só em 1944 ele comprou o Canindé. O sonho do grande estádio chegou a ser passado para o papel, num anteprojeto, mas foi atrapalhado pela Prefeitura: o traçado da Marginal Tietê cortaria o terreno do São Paulo e o anteprojeto teve que ser abandonado. E segundo a Revista Tricolor numero 3, em setembro de 1949 o clube volta a sonhar com um grande estádio. Desse momento em diante dirigentes e membros importantes começam a procurar por um terreno onde o clube poderia construir o tão desejado estádio.

Em meio as discussões sobre a construção do estádio, segundo pude apurar com quem conhece a história, um dos dirigentes da época proferiu uma frase que ficou marcada; “Se é para sonhar que seja grande!”. O primeiro terreno que interessou aos dirigentes são-paulinos foi o do Ibirapuera, onde hoje está o parque do Ibirapuera. Mas o então vereador Jânio Quadros lutou para que o terreno não fosse vendido, muito menos que fizessem ali um estádio.

Depois foi verificado que havia um terreno à margem do rio Pinheiros que pertencia a Light (antiga empresa de fornecimento de energia elétrica da capital de SP e parte do interior). Ao verificar a metragem do terreno, constatou-se que ele seria pequeno para o projeto desejado pelo clube.

Mais precisamente em abril de 52 que o clube organizou e criou a Comissão Pró-estádio. Com isso acontecia uma divisão administrativa do SPFC, uma que cuidaria do clube e outro da obra do estádio. Como presidente dessa comissão o ex-jogador e agora dirigente, Cícero Pompeu de Toledo. Em agosto de 52 a Imobiliária Aricanduva doa ao SPFC parte do terreno para a construção do estádio. Transação lícita e registrada em cartório.

(nota do blogueiro: Como a região do Morumbi era inabitada naquela época, era de total interesse da Imobiliária Aricanduva doar o terreno para um clube de futebol. A intenção era desenvolver a região, valorizando seus terrenos)

No final de 1952 três empreiteiras apresentaram seus projetos para a construção do estádio. Duas brasileiras e uma soviética. O Clube acerta com a Vilanova Artigas e apresenta a maquete do Estádio para o público e imprensa na sua sede social de gala na Av. Ipiranga. A maquete foi confeccionada pela empresa Maquette Zanini Ltda.