domingo, 31 de maio de 2009

Nós não somos desse mundo, mas... é pro Fantástico?!


Os evangélicos têm razão quando se consideram negligenciados pela mídia. Qualquer festa católica, por menor que seja, é pauta de reportagens. Já a tal Marcha para Jesus, mesmo reunindo uma porrada de gente, recebe uma cobertura mísera da imprensa (quando recebe).

Mas não estou aqui para defender os direitos do evangélicos a seus 15 minutos de fama.
Até porque nossos amiguinhos crentes adoram vociferar aos quatro ventos que não são desse mundo, que esse mundo "jaz no Maligno", que eles são apenas peregrinos nesta terra e que, portanto, o mundo não os compreende, a imprensa os boicota, as autoridades os perseguem.

O que nos faz pensar que eles realmente não se importam de viverem numa certa marginalidade, afinal, são movidos por um ideal maior: estão preocupados em salvar nossas almas da danação eterna! Não é a falta de cobertura da imprensa em seus eventos que os fará desanimar.

Acontece que basta dar-lhes alguns minutinhos na TV ou uma notinha minúscula de canto de página no jornal que eles já têm orgasmos múltiplos! Cai por terra o discurso sobre perseguição e param de repetir como papagaios que "não são deste mundo". A coisa muda completamente de figura: dizem que Deus está abrindo as portas dos canais de comunicação e que estão finalmente sendo valorizados. Chega a ser patético como ficam felizes com qualquer divulgaçãozinha. Logo começam os delírios de grandeza: imaginam conversões em massa de todos os ricos, poderosos e emergentes da cidade!

Aliás, evangélicos têm idéia fixa com o poder. Se você nunca freqüentou retiros e vigílias de oração, não tem noção de quantas orações são feitas pedindo a conversão do prefeito, dos vereadores, dos grandes empresários, médicos, artistas, enfim, dos influentes. É raro ver um grupo de crentes fazendo "atos proféticos" a fim de converter todos os mendigos da cidade! (Eu nunca vi.) Na igreja que eu freqüentei, por exemplo, o pastor e a pastora enchiam a boca para dizer que sempre oraram para que a igreja deles fosse cheia de fiéis bonitos (sim, FISICAMENTE bonitos, é isso mesmo que você leu).

Hoje já não tenho mais ilusões a respeito do quanto os evangélicos podem ser mundanos. E eles nem percebem o quanto são contraditórios. Como aquelas crianças que quando não são escolhidas para o time se defendem dizendo que nem queriam mesmo, que o time é uma droga, etc. Mas quando são chamadas para jogar não cabem em si de tanta alegria! Só que de pessoas que dizem ser os portadores das Boas-Novas na terra espera-se um tiquinho a mais de coerência. Mas vamos relevar... Talvez por não serem "desse mundo" eles não tenham muita intimidade com a tal da coerência.


Fonte: Juliana Dacoregio no blog Heresia Loira

Nenhum comentário: