terça-feira, 21 de abril de 2009

O ocaso do trono do cristianismo

Gente Boa de Deus!
O fato é o seguinte:
A Era do Cristianismo acabou na Terra!
O Cristianismo não acabará, é claro; mas o tempo de seu poder determinante, acabou.
Ora, para os cristãos isso parece uma blasfêmia, algo que contradiz a afirmação de Jesus: "Edificarei a minha Igreja, e as portas do Inferno não prevalecerão contra ela".

Falo, entretanto, do Cristianismo, não da Igreja de Jesus. Ao contrario, com ofim da Era do Cristianismo, agora, depois de muito tempo, enfim os discípulos terão outra vez a chance de viver e pregar sendo "bem conhecidos, porém, ignorados" — o que lhes dará um poder de sal, de luz e de fermento.

Cristianismo é uma coisa.
Igreja é outra.

O Cristianismo é esse caixão no qual se tentou aprisionar Jesus e a Igreja nos últimos 1700 anos. Graças, porém, a Deus, o Evangelho sobreviveu ao Cristianismo e à “Igreja” como Potestade humano/espiritual. A Igreja [sem aspas] é o povo que amou a Deus dentro e fora do caixão, jamais confundindo a fôrma da “igreja” com a vida segundo o Evangelho.

O Cristianismo se tornará uma das religiões da Terra, mas perderá quase que por completo a sua hegemonia Ocidental. Na realidade, talvez ainda tenha ar na América Latina e na África por mais um tempo, mas a tendência será a perda de importância política e religiosa, sem falar na perda das determinações “morais” que o Cristianismo impôs por quase dois milênios.

É fato que o Cristianismo, além de milênios de obscurantismo, também gerou outras coisas que não podem ser chamadas de más; apenas. No entanto, tenha sido pelo obscurantismo, tenha sido pelo movimento pendular anti-obscurantista produzido pela revolta contra o atraso imposto como dogmas, o fato é que até aquilo que surgiu como “avanço” promovido pela vanguarda cristã Ocidental, ainda foi movimento reacionário, e, por conseguinte, gerou polarizações que se expressaram como avanços apesar do Cristianismo; embora, somente em um ambiente com as categorias mínimas do Cristianismo os tais avanços pudessem ter sido feitos.

Assim, o Cristianismo acaba sendo culpado até que pelo que houve de avanço no ocidente, tanto por ter se oposto antes, durante e depois, como também por que em razão disso, insiste em tratar as coisas apenas à revelia, gerando freqüentes e desnecessários enfretamentos mútuos.

A tendência futura é privilegiar caminhos espirituais, veredas de ensino, corpos de compreensão de natureza espiritual. Daí eu vir dizendo há anos que eu creio que, fora o fundamentalismo islâmico, que continuará a crescer atendendo a uma forte demanda de segurança fundadas nos valores do passado — os demais grupos a crescer serão os de linha Budista, Taoista ou Hindu; com as obvias adaptações esotéricas/ocidentais.

Mas como disse, isso em nada atrapalha o Caminho do Evangelho, a verdadeira Igreja, o real povo de Deus no mundo! Fique de olhos abertos, a começar da Europa e da América do Norte, e você verá que o que digo já começa a ser, e, certamente, tornar-se-á...

Texto de Caio Fábio


Leituras complementares no site caiofabio.com:


O CRISTIANISMO COMEÇA A CAIR NA AMÉRICA…

A FÉ EM JESUS É UMA RELIGIÃO?

E O CRISTIANISMO VENCEU O MUNDO...

COMO O CAMINHO DO EVANGELHO VIROU CRISTIANISMO

COM A MORTE DO “PAI CRISTIANISMO”, DEUS ESTÁ ÓRFÃO?

QUERO JESUS, MAS TENHO DIFICULDADES COM O CRISTIANISMO

COMO SERIA O MUNDO SEM O “CRISTIANISMO”?


Um comentário:

guilsuque disse...

o caio é só mais um lunático religioso achando que sabe tudo de deus.mas eu não o culpo a maioria das pessoas não conseguem viver nesse mundo sem se contaminar com varias inverdades que egistem.na verdade as pessoas não conseguem ouvir uma musica sem se contaminar pois a maioria são impura,e por isso ou só conhecem a sua verdade ou se deixam levar pelas verdades de outros.