terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Rick Warren, pastor escolhido para orar na cerimônia de Barack Obama, rebate acusações de homofobia.


O pastor americano Rick Warren, que tem estado sob uma nuvem de controvérsia desde que foi anunciado como responsável pela oração na posse de Barack Obama, nesta terça-feira, resolveu quebrar o silêncio. “Não sou homofóbico”, disse o religioso, conhecido por sua postura conservadora em relação ao comportamento homossexual. Obama foi pressionado por setores de seu partido por ter formalizado o convite a Warren. No entender dos críticos, o pastor expressa posições opostas à postura liberal que o presidente eleito expressou durante sua campanha.

Warren fez questão de elogiar Obama por também ter convidado o bispo anglicano Gene Robinson, gay assumido, para orar durante uma cerimônia oficial da posse. “O presidente eleito voltou a demonstrar o seu compromisso genuíno de reunir todos os americanos de boa vontade em busca de um projeto comum”, declarou. “Eu aplaudo o seu desejo de ser o presidente de todos os cidadãos.”

Robinson foi um dos críticos da escolha de Warren, anunciada há duas semanas. “Foi uma bofetada na cara”, declarou na ocasião. Na preparação para o evento, o bispo disse ter lido orações inaugurais que foram feitas ao longo da história e estava “horrorizado” com a forma como “elas eram tão explicitamente e agressivamente cristãs”, de acordo com o New York Times.

Em relação à sua prece, Robinson disse de que “não será uma oração cristã”. “Os textos que considero sagrados não o são para todos os americanos, e quero que todas as pessoas sintam que esta é a sua oração”, disse ele. Robinson também sinalizou que seu companheiro, Mark Andrew, com quem vive há mais de vinte anos, “aceitaria um convite” da equipe de Obama para se juntar a ele em vários eventos inaugurais.

Fonte: Cristianismo Hoje

Nenhum comentário: