quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Protagonista do desenho ‘Os Simpsons’ chama vizinhos muçulmanos de terroristas; entidade islâmica quer boicote à série


Homer Simpson, o atrapalhado e politicamente incorreto chefe da família Simpson, acaba de aprontar mais uma. Protagonista de uma das mais bem sucedidas séries de animação de todos os tempos, o personagem, cuja característica são os desvios éticos e de conduta, estreou a nova temporada de Os Simpsons convencendo seus amigos de que os vizinhos vindos do Oriente Médio planejam explodir um centro comercial de Springfield, a cidade onde é ambientada a série.

Homer descobre mais tarde que Amid, o chefe da família muçulmana em questão, trabalha para uma companhia de demolição. Quando convida a família vizinha para um jantar, o pai de Bart Simpson demonstra sua ignorância em relação ao Islã, chamando Alá de “Oliver” e o Alcorão, livro sagrado da fé maometana, de “A Coroa”. Mas nem todos os espectadores acharam graça. Um porta-voz do Centro Cultural Islâmico e da Mesquita Central de Londres, na Inglaterra, acusou o programa de incentivar o preconceito contra o Islã e recomendou que os muçulmanos não assistam à série.

Já o criador de Os Simpsons, Matt Groening, defendeu o novo episódio ao dizer que o programa trabalha com estereótipos. “Tratamos de ser sensíveis a respeito”, diz o artista. Pelo menos, não se pode acusar o programa de discriminação especificamente contra os muçulmanos. A série ridiculariza também a fé protestante praticada pela família Simpson, mostrando que Homer, que freqüenta a igreja com sua mulher, Maggie, e os três filhos, age hipocritamente em muitas situações. Além disso, o pastor da família também vive aprontando.

Fonte: Cristianismo Hoje

Um comentário:

Anônimo disse...

Nada a ver! Faz parte do humor dos simpsons, e quem gosta da serie sabe como eles são, sempre imitando a maioria dos americanos e com certeza, quem não curte não deverá se sentir ofendido. Basta não assistir o programa.