segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Foguete de Israel atinge Brazil, no Egito

Governo israelense desculpa-se por míssil que atingiu Egito

Bomba caiu no distrito de Brazil durante ataque aéreo na fronteira com Gaza; munição não explodiu

Um míssil israelense caiu no território egípcio perto de uma casa, na cidade fronteiriça de Rafah, nesta segunda-feira, 12, mas não explodiu, afirmaram fontes policiais. O míssil caiu no distrito de Brazil, cerca de 200 metros dentro do território egípcio, durante um ataque aéreo israelense na fronteira entre Egito e Gaza, onde os israelenses atacam túneis usados para levar produtos contrabandeados para a faixa.

O ministério das Relações Exteriores israelense pediu desculpas ao Egito, porque fogo israelense feriu duas crianças egípcias e dois policiais um dia antes. O embaixador israelense disse que o bombardeio tinha um alvo militar, segundo o ministério das Relações Exteriores egípcio. Aviões de combate de Israel têm sobrevoado o território egípcio durante os bombardeios aos túneis, segundo testemunhas.

A polícia cercou a área e pediu a especialistas em desmantelamento de bombas que lidassem com o míssil, segundo as fontes. Esta é a primeira munição israelense a cair no território egípcio depois de 17 dias de ofensiva em Gaza, embora explosões e tiros de metralhadora tenham chegado ao Egito.

Também nesta segunda-feira, o líder do Hamas, Khaled Mashaal, exilado em Damasco, disse que "a resistência continuará até que Israel sucumba e levante o cerco sobre o povo palestino de Gaza". "Fiquem aliviados, porque a resistência continua na arena política e no terreno, e não se romperá diante da agressão, assim como nossa gente não se romperá apesar das feridas profundas, sua dor profunda, massacres, demolição, castigo coletivo e assassinatos maciços", disse Mashaal.

O secretário-geral do escritório político do grupo islâmico palestino fez estas declarações em reunião com membros de sindicatos árabes em Damasco. Além disso, Mashaal pediu aos árabes que continuem se manifestando nas ruas até que acabe o ataque a Gaza, as tropas israelenses se retirem do território palestino e sejam abertas as passagens fronteiriças.

Uma delegação do Hamas deve chegar esta noite ao Egito para continuar os contatos com as autoridades egípcias para colocar fim às hostilidades em Gaza. O primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, declarou que Israel atacará Gaza "com mãos de ferro" se o lançamentos de foguetes palestinos continuarem.

O representante do Hamas no Líbano, Osama Hamedan, anunciou que o grupo dará nesta segunda ou terça sua resposta definitiva à iniciativa egípcia de paz, sobre a qual continuou negociando, apesar de a ter rejeitado na quinta-feira passada.

O Egito apresentou um plano para dar uma solução para a crise em Gaza que contempla uma trégua entre Israel e as facções palestinas por um período limitado e a abertura dos postos fronteiriços, além da realização de uma reunião urgente entre as duas partes e o relançamento do diálogo interpalestino.

O Estado israelense iniciou a ofensiva militar na Faixa de Gaza em 27 de dezembro, que já deixou mais de 900 mortos e 4,1 mil feridos, segundo o último saldo de vítimas palestinas divulgado nesta segunda pelo escritório de imprensa do Hamas, que controla o território palestino. Da parte israelense, 15 pessoas - entre elas dez soldados - morreram desde o começo da operação.

Fonte: Estadão

Nenhum comentário: