terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Desabamento da Renascer (5)


Comparemos a notícia abaixo…

No templo emprestado da Assembléia de Deus do Brás foi a primeira vez que o casal apóstolico se pronunciou publicamente sobre a queda do telhado da sede da Renascer, que no domingo matou nove pessoas. A platéia entre as quais parentes das vítimas, levantou e ovacionou o casal. “Sinto como se tivesse perdido nove filhos”, disse o “bispo”. Ele citou uma das vítimas, Maria de Lourdes, que teria afirmado querer morrer dentro da igreja. “Disse que aqui, entre os mortais, há muito trabalho a ser feito, mas que o melhor mesmo é estar ‘perto de Cristo’”.

Aos parentes, mandou a mensagem: “Essa dor não é de morte, mas de ressurreição”, ao que o público gritava “Aleluia!”. Estevam continuou: “O sofrimento que o Satanás me causa é para alcançarmos a Glória.” Ele também contou que um fiel teria sido chamado à delegacia e quase obrigado a fazer uma denúncia contra a Igreja. “Como é que vou fazer uma queixa contra a casa do Senhor, onde recebo todas as glórias?”, perguntava Estevam aos fiéis.
Agência Estado - 21/01

… com essa aqui, mais recente:

A Associação dos Advogados Criminalista do Estado de São Paulo (Acrimesp) informou que foi procurada por 40 famílias que devem entrar com ação na Justiça por danos morais e materiais contra a Igreja Renascer em Cristo. O teto da sede mundial desabou no domingo, no Cambuci, zona sul de São Paulo, e deixou nove mortos e 108 feridos.

Segundo o presidente da Acrimesp, Ademar Gomes, os familiares devem formar uma Associação de Vítimas da Renascer para organizar a ação.

- Vamos estudar se a ação será coletiva ou individual. Mas já está claro que a igreja é responsável pelo ocorrido e não precisamos esperar a conclusão do inquérito para entrar com o processo judicial - afirmou.
Diário de São Paulo - 24/01


Sem comentários meus no momento. Estou numa fase de profunda reflexão sobre o momento evangélico atual e esse caso da Renascer simboliza, de maneira máxima, todo esse momento. Reflitamos e oremos, mas não viremos as costas para mais esse caso de indisciplina eclesiástica.

***
Fonte: Papo de Teólogo

Nenhum comentário: