segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Movimento negro pede que igrejas evangélicas não demonizem ubamda e candomblé

De perseguidos os “evangélico” passaram a perseguidores, quando setores neopentecostais demonizam a Umbanda e o Candomblé, denunciou a Semana Nacional Evangélica de Consciência Negra, em manifesto dirigido às igrejas.

“É indispensável que os nossos púlpitos e sermões estejam isentos de qualquer conteúdo racista ou de intolerância”, diz o manifesto, lembrando que evangélicos não podem esquecer que suas igrejas “já foram perseguidas pelo ímpeto da intolerância”. Por isso, o documento conclama as igrejas evangélicas brasileiras a buscarem a superação do racismo e da intolerância religiosa.

O manifesto recorda que os evangélicos eram chamados de “bodes” e que Bíblias foram confiscadas e queimadas em praça pública. “Esta perseguição estendeu-se até a década de 40 do século passado e começou a diminuir na década de 60 e 70”, assinalam os 11 organismos representados na Semana Nacional Evangélica de Consciência Negra, reunida em São Paulo, em final de novembro.

Assinaram o manifesto, entre outros, o Fórum de Afrodescendentes Evangélicos, a Comissão Ecumênica Nacional de Combate ao Racismo, a Aliança de Negros e Negras Evangélicos Brasileiros,o Fórum de Lideranças Negras Evangélicas.

fonte: ALC [via clicgospel]


comentário: Não simpatizo com nenhuma religião afro-brasileira, mas não simpatizo com nenhum crente que desrespeite o direito dessas pessoas de exercerem sua fé da forma que desejarem. Lembrando que alguns "irmãos" e algumas igrejas evangélicas são mais macumbeiros do que muita religião afro-brasileira. Ou você acha normal essa disseminação de profetas e profetizas nas denominações? Tem certeza?


Ah... e vai falar que lá no terreiro tem mais macumba do que no que faz o Missionário Ronildo Peçanha e do Profeta Luis Cláudio?

Nenhum comentário: