terça-feira, 26 de agosto de 2008

Você decide: vizinho crente ou gay?

A tendência do mercado imobiliário de oferecer condomínios a públicos cada vez mais segmentados chegou à religião. No Rio, a Tenda lançou em Nova Iguaçu, Baixada Fluminense, o Comandante Life 1, “primeiro residencial clube evangélico”, conforme anúncio publicado num jornal voltado a pastores e líderes religiosos.

As vendas do residencial evangélico começaram em 9 de agosto, após culto de lançamento da pedra fundamental, que reuniu cem pessoas sob chuva. Em 11 dias, metade dos 224 apartamentos já estava vendida. O condomínio tem todas as facilidades de um clube residencial convencional - piscinas, churrasqueira, salão de festas, espaço gourmet, parque infantil. O diferencial é que terá também uma Bíblia de bronze e os apartamentos só são oferecidos a fiéis evangélicos.

"Não é um projeto discriminatório. O que queremos é oferecer qualidade de vida, com vizinhança boa e confiável. Quem não for evangélico pode comprar. Mas vai saber que a maioria evangélica vai votar na convenção e estabelecer regras, como proibir álcool, fumo e palavras de baixo calão nas áreas comuns", diz o secretário-geral da União Nacional Evangélica (UNE), Alcindo Plácido.

O projeto existe desde 1995. Plácido e Roberto Guarnier, donos da Taipá Planejamento e Construção, chegaram a lançar um conjunto habitacional nesses moldes num dos feirões da Caixa Econômica. Mas o financiamento estava em baixa, e o imóvel não deslanchou. O convênio com a Tenda permitiu que ele saísse da prancheta. "A média da Tenda é iniciar as construções com cerca de 30% dos contratos fechados. Vamos esperar para ultrapassar os 50% para garantir o caráter evangélico", disse.

Na primeira etapa, não houve anúncio público do condomínio. A UNE, que congrega evangélicos de diferentes denominações, apresentou o projeto a pastores, que indicaram fiéis "em campanha de orações pela casa própria" com o perfil econômico necessário - renda familiar de R$ 1.800. Os apartamentos têm entre 56 m2 (dois quartos) e 78 m2 (três quartos dúplex) e custam a partir de R$ 79 mil. A cobertura permite instalação de piscina. A entrada é de R$ 1.100, as prestações iniciais saem a R$ 300.

A professora de Educação Física Kellen Damasceno Ribeiro, de 32 anos, e o assistente jurídico Adams da Luz Ribeiro, de 42, moram de aluguel e souberam do imóvel pelo pastor da igreja que o pai dela freqüenta. Os dois serão vizinhos do pai da moça, de dois casais e de um "rapaz solteiro" - todos da Igreja do Evangelho Quadrangular. "O lar deve ser ambiente de sossego, descanso. Se os vizinhos têm a mesma disposição, é mais fácil se entenderem", disse Kellen.

O sucesso do negócio fez com que Plácido e Guarnier fossem procurados por construtoras até de fora do Estado. "Estão percebendo que o evangélico é bom cliente, persevera. Além disso, tem maior poder aquisitivo porque não bebe, não fuma e não tem segunda família", diz Plácido.

Já na Bahia, a Plena Empreendimentos está prestes a entregar as chaves do primeiro village gay do País, o Aldeia Saint Sebastien, em Arembepe. O empreendimento promete ser o "metro quadrado menos quadrado da Bahia".

saiu no O Estado de S.Paulo do dia 24/08

Nenhum comentário: