quarta-feira, 20 de agosto de 2008

Livro sobre vida sexual de Tintim censurado

Se depender dos herdeiros do criador de Tintim, o famoso personagem de banda desenhada nunca vai crescer e está condenado a morrer virgem. Em defesa desta causa, os descendentes de Hergé parecem estar dispostos a tudo. Tanto, que não descansaram até conseguir impedir a reedição do livro de ensaios 'El loto rosa' (edições de Ponent), do espanhol António Altarriba, sobre as primeiras experiências sexuais do jovem repórter que, aos 30 anos, se tornou "paparazzi".

Para a Moulinsart, a sociedade que reúne os herdeiros de Hergé, a nova versão da vida de Tintim "perverte a essência do personagem". Com isso não concorda o autor do livro, que foi publicado no ano passado como uma homenagem a Hergé pelo centenário do seu nascimento. Altarriba lamenta o estrito controlo dos herdeiros de Hergé sobre Tintim e diz que a medida abre um importante debate sobre o exercício de um direito legítimo de propriedade intelectual e a censura.

Um Tintim adulto e desencantado

Na versão do autor espanhol, Tintim já não é um rapaz. Completou 30 anos e trocou a profissão de repórter pela de "paparazzi". O mundo à sua volta desmoronou: Haddock, o capitão que andava sempre à procura do bar mais próximo, tornou-se um alcóolico; o professor e cientista lunático Tornesol(professor Girassol no Brasil) foi internado num hospital psiquiátrico; ja 'Milu', o inseparável cachorro forrestier branco, morreu.

Um Tintim adulto, desiludido e longe da imagem de herói da sua juventude, ainda mais nesse contexto, era demais para os herdeiros de Hergé. A agravar a situação, Altarriba decidiu abordar um assunto tabu: a sexualidade do eterno adolescente e a ausência de mulheres na história.

A revisão da vida de Tintim desagradou em cheio à sociedade de herdeiros. Inicialmente, os advogados da Moulinsart tentaram impedir a distribuição do livro, cuja primeira edição de de 1.500 exemplares foi publicada. Depois, quiseram que a cadeia de livrarias FNAC suspendesse a sua venda.

A editora conseguiu que nada disso acontecesse. Até que, no passado mês de Maio, os herdeiros voltaram a bater na mesma tecla, desta vez alegando que apesar de não haver delito a publicação representava uma "perversão" do personagem. O resultado é que os advogados das partes entraram em acordo, comprometendo-se a editora a não reeditar o livro.

'El loto rosa' reúne cinco ensaios que analisam a fundo o personagem e as suas aventuras, ilustrados por Ricard Castells e Hernández Landazábal. No final do livro, o autor imagina a vida de Tintim doze anos depois da morte do seu criador.
Expresso

PS: As Aventuras de Tintin sempre foi um de meus desenhos favoritos. Um cartoon inteligente e histórias bem construídas. Muito diferente destes desenhos de hoje que subestimam
a capacidade intelectual e a imaginação das crianças.

Nenhum comentário: