quarta-feira, 6 de agosto de 2008

Abaixo-assinado pede que Bono abandone causas sociais


Foi criado na internet um abaixo-assinado virtual pedindo ao vocalista do U2, Bono Vox, que abandone sua militância social e política. A petição está coletando assinaturas e dinheiro(é isso mesmo...) para tentar convencer Bono a se retirar da vida pública. O abaixo-assinado acusa as campanhas do vocalista do U2 de serem mal direcionadas e, por isso, precisariam acabar.

"As iniciativas filantrópicas de Bono são auto-indulgentes e contraproducentes", diz o texto da petição publicado no site da campanha (thepoint.com). "A campanha RED que ele coordenou gastou em marketing 40 milhões de dólares a mais do que arrecadou ao mesmo tempo em que mandou mensagens perigosas aos consumidores", defende a mensagem.

O texto segue acusando o cantor de simplificar a imagem da África para o mundo. "Os líderes da luta mundial contra a AIDS na África não pediram ao Bono que fosse seu frontman. É hora do Bono parar", conclui.

Os organizadores afirmam que o dinheiro arrecadado será doado ao Fundo Global pela Luta Contra AIDS, Tuberculose e Malária quando o objetivo for alcançado.


E eu com isso?
Ok, até concordo que algumas campanhas de artistas como Bono Vox são mais voltadas para o marketing do que para melhorar algo de fato. Mas, chegar ao ponto de criar um abaixo assinado para "exigir" o fim disso e ainda pedir doações, é algo que não entra em minha cabeça. Poderia até defender que não fossem enviados recursos públicos ou da ONU(e suas irmãs Unicef, Unesco e por aí vai...) para as campanhas mal direcionadas e administradas. Isso é uma coisa. Agora, ninguém pode querer obrigá-lo a desistir de fazer o que faz. Se ele é péssimo ao se enveredar no Terceiro Setor isso é problema dele. Na minha opinião quem está reclamando deve ser alguma ONG "concorrente". Acha difícil? Pois saiba que só conheço dois lugares em que o capitalismo é tão ou mais selvagem do que na bolsa de valores. Um é o mercado "gospel" das igrejas. O outro é o Terceiro Setor, com ONGs, institutos e fundações que torram milhares dando peixe e não ensinando a pescar.


Nenhum comentário: