sexta-feira, 29 de agosto de 2008

Folha Online antecipa vitória em licitação de obra do metrô de São Paulo

O resultado da licitação para a construção da via permanente 2-Verde do Metrô, obra de mais de R$ 200 milhões, foi antecipado pela Folha Online oito horas antes da abertura dos envelopes, ontem, em São Paulo. O nome da vencedora e detalhes do processo foram ocultados em texto sobre a ópera "Salomé", que entrou em cartaz ontem na Sala São Paulo.
A antecipação mostra que a concorrência pode ter sido direcionada, de forma a dar vitória ao consórcio liderado pela Camargo Corrêa. Procurada, a empresa se recusou a falar sobre o assunto.
A obra em questão trata da ampliação da linha 2-Verde no trecho de Alto do Ipiranga até Vila Prudente. Hoje essa linha vai da Vila Madalena até o Alto do Ipiranga. Essa expansão é uma das bandeiras políticas da gestão José Serra (PSDB).
As empresas excluídas da licitação irão à Justiça contestar o resultado. Pelo conteúdo dos envelopes abertos ontem, por volta das 9h, o consórcio Camargo Corrêa/Queiroz Galvão apresentou a "melhor" proposta. O consórcio pediu R$ 219,7 milhões para executar a obra --12% acima dos R$ 196 milhões previstos pelo Metrô. A segunda colocada foi a Andrade Gutierrez, que pediu R$ 222,1 milhões. A terceira colocada foi a OAS (R$ 226 milhões).
Para excluir quatro das oito empresas que disputavam a licitação, o Metrô usou um parecer técnico da Ieme Brasil, empresa contratada como projetista da 2-Verde. Ela prestou serviço à Camargo Corrêa. O procedimento é contestado administrativa e judicialmente pelas perdedoras (Galvão/Engevix; Iesa Consbem/Serveng; Carioca/Convap/Sultepa; Tejofran/Somafel).
Pela Lei das Licitações (nº 8.666), a Ieme não poderia participar nem "direta" nem "indiretamente" do processo.
O Metrô informou a exclusão das quatro empresas no "Diário Oficial" do Estado da última terça. Para fundamentar essa decisão, em vez de produzir um parecer próprio, a direção do Metrô usou o que a Ieme fez para a Camargo Corrêa. Ou seja, o Metrô usou o argumento de uma das concorrentes para desclassificar as demais. Para especialistas, o processo foi "contaminado".
Cratera
No último dia 13, a Folha Online antecipou que as construtoras Queiroz Galvão, Camargo Corrêa, Andrade Gutierrez e OAS foram consideradas pelo Metrô as únicas aptas a participar da licitação, das que apresentaram proposta.
As demais foram desconsideradas por não cumprir critérios jurídicos ou técnicos.
A escolha dessas construtoras ocorreu em meio à polêmica: elas integram, ao lado da Odebrecht, o consórcio Via Amarela, responsável pela construção da linha 4-Amarela. Em janeiro de 2007, um dos canteiros de obra da linha ruiu, matando sete pessoas.
As obras para a expansão da linha 2-Verde até a Vila Prudente já começaram.
Em destaque, as palavras cifradas sobre o resultado da licitação, que só seria revelado oito horas depois
Em destaque, as palavras cifradas sobre o resultado da licitação, que só seria revelado oito horas depois

da FolhaOnline

quarta-feira, 27 de agosto de 2008

Comunismo é crime na Itália

Comunismo, o novo fascismo?
Um tribunal siciliano, em Itália, retirou a uma mulher a custódia do seu filho de 16 anos porque o menor se filiou no Partido da Refundação Comunista. Segundo o advogado da progenitora, Mario Giarrusso, o Tribunal de Catânia considerou que o jovem pertencia a um grupo extremista.

O Partido da Refundação Comunista fez parte da coligação de partidos que apoiou o governo de Centro-Esquerda de Romano Prodi até à sua queda, em Janeiro, a que se seguiu a convocatória de eleições e a vitória do conservador Silvio Berlusconi.

O pai do adolescente encontrou entre os pertences do filho o cartão da Juventude da Refundação Comunista e uma bandeira com a imagem do revolucionário argentino Ernesto “Che” Guevara, noticiou o jornal La Repubblica, acrescentando que os objectos foram entregues aos serviços sociais da Catânia.

Tanto o cartão como a bandeira foram apresentados em tribunal, que decidiu entregar a custódia do menor ao pai, alegando que o jovem pertencia a um “grupo extremista”. O relatório dos serviços sociais da Catânia aponta ainda que, quando estava com a mãe, o adolescente frequentava “ambientes” propícios ao “uso de substâncias alcoólicas e psicotrópicas”, faltava habitualmente às aulas e levava uma vida “sem regras”.

A mãe, que terá de pagar 200 euros mensais de pensão de alimentos ao pai do menor e abandonar a casa onde residia, alega que o seu filho estuda e, se teve más notas, é porque não pode estar “tranquilo com a guerra que se está gerar”. O advogado da progenitora reforça que o jovem não consome drogas.

O secretário-geral do Partido da Refundação Comunista, Paolo Ferrero, classificou de “inconstitucional e inaceitável num Estado de Direito” que um tribunal baseie a sua sentença no facto de um adolescente pertencer a um partido democrático, classificado como “extremista”. O dirigente já pediu a intervenção do presidente italiano, Giorgio Napolitano, neste caso.

retirado do Diário dos Açores

A 2ª vinda de Cristo à Terra


Quando eu conheci a Graça de Deus em Cristo, aos dezoito anos e meio de idade, havia no ar a certeza de que a volta de Jesus estava próxima. A Guerra Fria criara um clima apocalíptico e os profetas americanos, vendedores de livros evangélicos, escreveram uma batelada de best-sellers que foram consumidos em todo o mundo cristão, de tal modo que a igreja trazia uma certa ebulição acerca do tema. Infantil era a especulação que os tais livros faziam, sempre tentando associar a volta de Jesus à posição política dos americanos.

Se Jesus voltasse conforme aqueles livros, traria uma bandeira americana na cinta e um manto com a bandeira de Israel nos ombros. Até mesmo as “heresias” da época envolviam a questão, fossem os adventistas apocalípiticos de um lado ou, do lado oposto, os liberais, que não criam em nenhuma volta corpórea de Jesus à Terra. Então veio a Teologia da Prosperidade e matou completamente a esperança na volta do Senhor.

É claro. Quem, que pense que o reino de Deus é deste mundo, que creia que pode começar a reinar econômica e politicamente ainda nesta vida sendo ajudado de um modo especial por Deus, e que deseje que todos os Seus filhos sejam mais ricos e fortes que os demais homens, haverá de desejar ardentemente a volta do Senhor? Até porque, mesmo que inconscientemente, algo diz, mesmo ao mais alienado deles, que não é assim que as coisas são para Deus! Então, eles não gostariam de se encontrar com o Senhor “agora”, pois sabem que não seria boa a conta que lhe prestariam.

A “igreja” está completamente desinteressada na volta do Senhor — afinal, ainda há tanto a conquistar para a “igreja” neste mundo! Ao contrário dela, o mundo parece estar vendo e sentindo que algo vai acontecer. Não falo de uma catástrofe, mas da história como catástrofe. A maioria das pessoas minimamente sensatas já percebeu que a humanidade é o Apocalipse. A História é o Apocalipse.

E nas circunstâncias atuais, com todas as desordens de natureza ecológica que estão acontecendo no Planeta, a própria sensatez diz que estamos criando um apocalipse. Todo mundo pensava antes que Deus enviaria as pragas e que o Apocalipse era obra da malvadeza dos anjos, derramando taças, tocando trombetas evocativas de desgraças ou gritando “Ais” de agonia sobre a humanidade. Hoje já se sabe que não é assim. Os homens é que estão fazendo cada uma daquelas coisas, e alterando a natureza de tal modo que o Apocalipse é natural. Os anjos do Apocalipse estão apenas nos dizendo com antecedência aquilo que nós mesmos faremos à humanidade e ao planeta Terra.

Os ecologistas param a viagem aqui. Na melhor das hipóteses, eles partem para o protesto. Os cristãos deveriam lutar com todas as forças contra essa alteração na essência das coisas, pois assim os poderes dos céus serão abalados... contra os homens. A luta cristã tem que ser verdadeira e esperançosa. Pois se ganharmos a parada, ganha a vida, e os homens aprendem. Se não ganharmos a parada, ganharemos, todavia, a via das vias, pois os céus se abrirão com estrepitoso estrondo, e todos verão o Filho do Homem sobre as nuvens dos céus.

É por isso que, em Mateus 24, Jesus conta como o mundo vai acabar. E no capítulo seguinte Ele diz que a gente tem que atacar com telhado, pão, copo d'água, cobertor, abrigo, amizade, solidariedade e amor, a fim de que o mundo não acabe. Essa é a tensão sadia. Afinal, se vivemos, para o Senhor vivemos; se morremos, para o Senhor morremos; quer pois vivamos ou morramos, nós somos do Senhor!
Caio Fábio
retirado de www.caiofabio.com

terça-feira, 26 de agosto de 2008

Você decide: vizinho crente ou gay?

A tendência do mercado imobiliário de oferecer condomínios a públicos cada vez mais segmentados chegou à religião. No Rio, a Tenda lançou em Nova Iguaçu, Baixada Fluminense, o Comandante Life 1, “primeiro residencial clube evangélico”, conforme anúncio publicado num jornal voltado a pastores e líderes religiosos.

As vendas do residencial evangélico começaram em 9 de agosto, após culto de lançamento da pedra fundamental, que reuniu cem pessoas sob chuva. Em 11 dias, metade dos 224 apartamentos já estava vendida. O condomínio tem todas as facilidades de um clube residencial convencional - piscinas, churrasqueira, salão de festas, espaço gourmet, parque infantil. O diferencial é que terá também uma Bíblia de bronze e os apartamentos só são oferecidos a fiéis evangélicos.

"Não é um projeto discriminatório. O que queremos é oferecer qualidade de vida, com vizinhança boa e confiável. Quem não for evangélico pode comprar. Mas vai saber que a maioria evangélica vai votar na convenção e estabelecer regras, como proibir álcool, fumo e palavras de baixo calão nas áreas comuns", diz o secretário-geral da União Nacional Evangélica (UNE), Alcindo Plácido.

O projeto existe desde 1995. Plácido e Roberto Guarnier, donos da Taipá Planejamento e Construção, chegaram a lançar um conjunto habitacional nesses moldes num dos feirões da Caixa Econômica. Mas o financiamento estava em baixa, e o imóvel não deslanchou. O convênio com a Tenda permitiu que ele saísse da prancheta. "A média da Tenda é iniciar as construções com cerca de 30% dos contratos fechados. Vamos esperar para ultrapassar os 50% para garantir o caráter evangélico", disse.

Na primeira etapa, não houve anúncio público do condomínio. A UNE, que congrega evangélicos de diferentes denominações, apresentou o projeto a pastores, que indicaram fiéis "em campanha de orações pela casa própria" com o perfil econômico necessário - renda familiar de R$ 1.800. Os apartamentos têm entre 56 m2 (dois quartos) e 78 m2 (três quartos dúplex) e custam a partir de R$ 79 mil. A cobertura permite instalação de piscina. A entrada é de R$ 1.100, as prestações iniciais saem a R$ 300.

A professora de Educação Física Kellen Damasceno Ribeiro, de 32 anos, e o assistente jurídico Adams da Luz Ribeiro, de 42, moram de aluguel e souberam do imóvel pelo pastor da igreja que o pai dela freqüenta. Os dois serão vizinhos do pai da moça, de dois casais e de um "rapaz solteiro" - todos da Igreja do Evangelho Quadrangular. "O lar deve ser ambiente de sossego, descanso. Se os vizinhos têm a mesma disposição, é mais fácil se entenderem", disse Kellen.

O sucesso do negócio fez com que Plácido e Guarnier fossem procurados por construtoras até de fora do Estado. "Estão percebendo que o evangélico é bom cliente, persevera. Além disso, tem maior poder aquisitivo porque não bebe, não fuma e não tem segunda família", diz Plácido.

Já na Bahia, a Plena Empreendimentos está prestes a entregar as chaves do primeiro village gay do País, o Aldeia Saint Sebastien, em Arembepe. O empreendimento promete ser o "metro quadrado menos quadrado da Bahia".

saiu no O Estado de S.Paulo do dia 24/08

Deus no palanque

A disputa religiosa é a segunda maior causa de guerras na história da humanidade. A primeira é, obviamente, a conquista territorial para garantir a subsistência e a sobrevivência. Nesta questão primordial, o ser humano não se distingue das outras espécies animais que se engalfinham em busca do espaço vital para produzir alimento, agasalho e a preservação do grupo. Asseguradas as necessidades biológicas, os animais ditos racionais passam a guerrear-se para impor suas crenças.

Lamentável: a vantagem competitiva oferecida pela racionalidade em vez de pacificar os instintos só os exacerba. Em termos concretos significa que a busca da paz genuína compreende um esforço ostensivo dos envolvidos para retirar da pauta dos contenciosos todos os ingredientes capazes de fomentar o fervor religioso ou a ferocidade confessional.

Em outras palavras: é preciso tirar Deus da arena política. Há indícios de que isto está acontecendo na Europa - prova de que o Velho Mundo ainda é uma referência - porém na Ásia e na África religião é dinamite pura. No mitológico Novo Mundo, sempre associado à imagem de liberdade, a religião foi imposta a ferro e fogo. Na parte setentrional do continente, mais de cinco séculos depois da chegada de Colombo, encontramos uma situação não muito diferente daquela que existia em 1492, quando a Espanha expulsava os mouros e os judeus do seu território.

Hoje, nos EUA (segundo a “Economist” de 16/8, p.35) cerca de 90% dos cidadãos declaram-se religiosos, 63% acreditam que a Bíblia é a palavra divina e que religiosidade é prova de bom caráter. Apenas 42% dos norte-americanos afirmam que votariam num agnóstico ou ateu para a presidência enquanto 56% votariam num homossexual e 93% aceitariam um negro.

Esta exótica religiosidade numa comunidade tão diversificada e numa civilização tão materialista produz situações singulares como o primeiro encontro dos dois candidatos à Casa Branca, Barack Obama e John McCain, realizado no megatemplo do poderosíssimo pastor Rick Warren na Califórnia, semana passada. Obama veio para mudar, conseguiu ser pós-racial, pós-ideológico, mas não conseguiu ser pós-religioso. Sequer tentou.

Na Íbero-América, a conversão forçada dos nativos e a presença da onipotente, onisciente e implacável Inquisição criou um paraíso monolítico católico que agora começa a ruir diante do formidável avanço das seitas protestantes de variadas filiações. Sem o apoio das massas, certos grupos e ordens ligados ao Vaticano (como a Opus Dei), tentam barrar este avanço evangélico através de um grande empenho na área da comunicação social onde os evangélicos estão poderosamente inseridos.

As eleições de Outubro têm tudo para transformar-se no primeiro round de um confronto formal e ostensivo entre evangélicos e não-evangélicos graças à presença de Marcelo Crivella (PRB) como candidato à prefeitura carioca. Sua eleição anterior para o Senado foi apenas um ensaio: sua postulação a um cargo majoritário, numa cidade-vitrine como o Rio de Janeiro, dá outra dimensão a uma disputa que em outras circunstâncias seria no máximo partidária. Agora é mediática, aos pés do Redentor, portanto religiosa.

Na antiga Cidade Maravilhosa está a sede do poderoso Grupo Globo, cujo maior competidor é a TV Record, carro-chefe da Igreja Universal, de propriedade do bispo-empresário Edir Macedo, tio do candidato Crivella, por enquanto líder nas pesquisas.

Crivella tem o apoio do governo federal, seu partido é o mesmo do vice-presidente da República e do ministro Mangabeira Unger, que aposta numa reedição da história de sucesso da Coréia do Sul onde a opção pelo protestantismo foi estratégica.

Os desdobramentos de um eventual confronto são preocupantes. Embora administrada como empresa multinacional, a Igreja Universal adota um proselitismo agressivo. Seu poderio eleitoral, sobretudo nos segmentos menos favorecidos, pode potencializar conflitos subjacentes. Nas comunidades carentes do Rio onde atua, até a panfletagem precisa ser aprovada pela bandidagem ou pela milícia (o que vem dar no mesmo).

Deus nos palanques tira Marx da jogada. Religião deixou de ser o “ópio do povo”, porém nada impede que se converta em “coração de um mundo sem coração e alma da condição desalmada”. Guerras religiosas são insaciáveis. Mais nocivas do que as produzidas pela fome.

coluna de Alberto Dines no Último Segundo do dia 22/8

Fim das igrejas em Amsterdã

Em Amesterdã, cidade onde o culto religioso està em recessão quer entre os catolicos, quer entre os protestantes, as igrejas que ficam devolutas são transformadas em discotecas, galerias de exposições, departamentos camarários, salões de beleza ou escritorios. Segundo um intelectual nascido e criado na cidade, ‘Não é bonito, mas antes isso do que virarem mesquitas. Faremos tudo para que tal não aconteça’. Em menos de dez anos, o islã serà a primeira religião da Holanda”.
Publicado no jornal francês Le Monde.
Fonte: rede independente de informação (http://pt.no-media.info)

Olim(piadas) de português

Pois é... não são somente os brasileiros que lamentam o fiasco da participação nacional nos Jogos Olímpicos de Beijing, na China. Nossos camaradas (e companheiros de piadas) portugueses também estão lamentando a falta de preparo dos atletas e as péssimas classificações no quadro de medalhas. A seguir um artigo publicado no periódico portuguê Diário de Notícias.

Não crucifiquem os falhados olímpicos

Eurico de Barros
Não crucifiquem os falhados olímpicos

Não me junto ao coro indignado e ensurdecedor de críticas aos atletas olímpicos portugueses, expostos ao ridículo público e à execração mediática por causa das declarações com que justificaram os seus falhanços, e que vieram de Pequim de mãos a abanar. Se somos um povo de irremediáveis amadores, se o amadorismo mais escancarado está presente em todas as situações, procedimentos e gestos do quotidiano nacional, desde a governação até ao simples acto de atender um cliente numa loja ou num café, não podemos esperar outra coisa do que ser representados de forma amadora num acontecimento como os Jogos Olímpicos.

Figuras de eleição como Carlos Lopes, Rosa Mota, Nélson Évora são as excepções, as ocasionais fugas à norma, as aberrações estatísticas. Os verdadeiros, os genuínos representantes de Portugal, que corporizam a expressão do nosso ser mais profundo traduzido na prática desportiva, são Marco Fortes, o lançador de peso amigo da caminha, a corredora Sara Moreira, que participou nos 3000 metros obstáculos como adepta e não como atleta, o fatigado judoca Pedro Dias, a corredora de 800 metros Carmo Tavares, que deu metade do objectivo como cumprido, os nadadores que bateram uns quantos recordes nacionais e foram campeões do cronómetro, a esgrimista Débora Nogueira, que deixou a adversária atacar tanto, tanto, que perdeu o combate, o marchista que apontava ao 16º lugar e ficou em 17º.

Não vale a pena crucificá-los, porque inconscientemente nos revemos neles. É a nós próprios que estamos a atacar. Reparem que em Portugal até os animais são amadores. A égua do cavaleiro Miguel Ralão Duarte não “entrou em histeria com medo do ecrã” vídeo do recinto onde decorria a prova? Muito de vez em quando, um destes amadores faz um milagre. Foi o caso do atirador Armando Marques, que contou há dias na RTP que foi para os Jogos Olímpicos de Montreal, em 1976, “com a minha mulher e a espingarda, e lá chegado reparei que todos à minha volta tinham assistentes, psicólogos e dietistas”, e conseguiu ganhar uma medalha de prata.

E aí é uma verdadeira alegria, uma euforia patriótica espontânea e não pré-programada, porque ninguém estava à espera de nada e a glória olímpica cai-nos do céu aos trambolhões. Não, eu estou do lado dos nossos atletas dorminhocos, cansados, temerosos, resignados, realistas, queixinhas, afastados das medalhas por um ponto, ou repescados por uma unha negra e eliminados logo a seguir, que saem de cena “de cabeça erguida”, apesar de o resto do corpo se ter vergado à superioridade alheia.

São eles que respeitam à letra a máxima, hoje tão desprezada, do barão Pierre de Coubertin, fundador dos Jogos Olímpicos da era moderna: "O importante é competir, e não vencer.” A dignidade olímpica está do lado deles, embora quase ninguém já repare nisso. Bem faz Marco Fortes, que gosta de ficar na caminha, no quentinho, de manhã. Antes isso do que ir mergulhar numa piscina fria todas as madrugadas como Michael Phelps, e acabar transformado numa disformidade papa-medalhas de ouro, fabricada músculo a músculo por médicos, psicólogos, farmacêuticos e nutricionistas.

segunda-feira, 25 de agosto de 2008

Smilingüido e crianças salvam a pátria.

Neste final de semana voltei na Bienal do Livro, que se encerrou no domingo. Enquanto o stand da Sociedade Bíblica do Brasil segue pouco visitado em comparação com alguns, o do personagem "gospel" Smilingüido estava abarrotado de gente. Se os evangélicos adultos não gostam muito de ler, as crianças parecem gostar do hábito. E, ainda, parecem usar seus "poderes" de convencimento para que os pais também visitassem o espaço. Ufa, já é um começo.
Mas ainda fiquei confuso: Será que aqueles pais que acompanhavam os filhos eram evangélicos ou não.
Se sim, porque será que não tiveram tanta atração pelo "stand da bíblia"?

sexta-feira, 22 de agosto de 2008

SANTA MARIA OU MARIA SANTA?

O modo como os “protestantes” desconsideram Maria é tão ofensivo em seu ódio ou indiferença quanto o é em seu exagero idolátrico a reverencia adorativa ou mesmo a adoração disfarçada, que muitos “católicos” devotam a Maria.
Maria, no entanto, foi de fato extraordinária! Sim! Era extraordinária na medida em que foi extraordinarizada pela Graça de Deus que a escolheu antes de ela pensar qualquer coisa sobre o assunto. Ela, porém, entregou-se a Deus contra toda a interpretação dos homens. Afinal, todos nós sabemos que naqueles dias o que esperava uma mulher noiva ou casada que ficasse grávida — que não fosse de seu marido ou noivo — seria o apedrejamento. Ela, porém, contra toda moral humana, disse: “Eis aqui está a serva do Senhor! Faça-se em mim conforme a Tua vontade”.

Também igualmente horrível é o que aconteceu a José. Sim! Pois José aceitou criar como seu um filho que ele sabia que não gerara, e decidiu assim em razão de um sonho. Ouviu uma voz de anjo no sonho, que lhe disse: “Não temas receber Maria, tua mulher, pois o que nela foi gerado é do Espírito Santo!” — e, em razão de tal subjetividade, um sonho, assumiu para sempre diante de todos que o filho era seu.
A Encarnação do Verbo em Jesus aconteceu, em todos os aspectos, sob o signo da violação e da contradição. Haveria certamente outras virgens para engravidar além de Maria. Sim! Uma virgem menos comprometida. Mas nenhuma delas era Maria. Assim como nenhum outro homem era José. José fez tudo o que tinha de fazer e desapareceu. Maria continuou... Até à Cruz ao lado Dele.
Jesus, da Cruz, dá a Maria outra missão: adotar e deixar-se adotar por um filho que não gerara: João. “Mulher, eis aí o teu filho! E disse a João: Eis a tua mãe. E, daquele dia em diante João cuidou dela.” Estranha é a vontade de Deus! Afinal, depois de tudo, não estaria na hora de Deus aposentar Maria? No entanto, ao invés de descanso Maria recebe mais uma peregrinação nesta existência.
Ora, eis a pergunta que tal realidade impõe: Se foi assim com Maria, a mãe de Jesus, por que comigo seria diferente? Para quem dera o ventre e a carne ao Filho de Deus, agora era a hora de adotar e, também, de deixar-se cuidar por um filho de Deus que Maria não gerara. Maria tinha outros filhos. Mas Jesus deu a ela a missão de se dar fora dos limites consangüíneos.
Maria era uma genuína hebréia, e, por isto, prosseguiu a caminhada. Jesus disse que nós que somos maus sabemos dar boas coisas aos nossos filhos. Desse modo se sabe que ser bons para os filhos até os maus sabem ser.
No entanto, o desafio para que se cresça no amor não conhece barreiras e nem tetos. Por isto, agora, Maria teria de amar fora dos limites da carne e do sangue. Para quem acolheu a Deus, é chegada a hora de acolher aos homens!
Maria e José viveram na prática, e João também, aquilo que João bem mais tarde diria: “Aquele que ama a Deus, ama também a todo aquele que Dele é nascido”. Laços de carne e sangue são poderosos e legítimos. No entanto, se amarmos apenas aos de nossa própria carne, jamais aprenderemos a amar para além do instinto.
Maria é santa em razão de ter se santificado no fazer a vontade de Deus com alegria e submissão em fé. Foi santificada em Jesus. Porém, Nele mesmo continuou a jornada; e, assim, foi santificada na experiência do amor que cresce para além do instinto! Por isto, digo: Santa Maria nem tanto! Mas Maria santa, certamente!

texto de Caio Fábio, retirado de www.caiofabio.com

Já pra igreja menino!

Enquanto é difícil encontrar evangélicos na Bienal do Livro, nos Estados Unidos, ir à igreja pode aumentar a nota de um adolescente. Ao menos, é isso o que indica um estudo divulgado pelo portal “LiveScience.com”. Os pesquisadores descobriram que freqüentar a igreja (ou atividades sociais similares) tem tanto efeito na média quanto ter pais com nível superior.

Além disso, adolescentes que iam à igreja semanalmente tinham menores taxas de evasão escolar e se sentiam parte de sua escola.

Alunos cujos pais fizeram graduação de quatro anos tiveram média 0,12 ponto maior que aqueles cujos pais completaram apenas o ensino médio. Já no quesito religião, os que exerciam atividades religiosas tiveram 0,144 ponto a mais na nota que os que não tiveram, segundo a socióloga Jennifer Glanville, da Universidade de Iowa, nos Estados Unidos.

Mas não é acreditar em Deus que faz a diferença. As razões para o melhor desempenho são outras: os religiosos mantêm contato com adultos que servem de modelo; seus pais tendem a se comunicar mais com os pais de seus amigos; eles desenvolvem amizades com pessoas que têm os mesmos valores morais; e, além disso, costumam participar mais de atividades extraclasse.

“Podemos ir a duas direções com esta pesquisa”, disse Jennifer. “Alguns podem pensar que os pais deveriam levar seus filhos aos templos. Já os pais que não estão interessados em ir à igreja podem pensar em como estruturar o tempo de seus filhos para oferecer os mesmo benefícios sociais que as instituições religiosas oferecem.”

Jennifer e seus colegas David Sikkink e Edwin Hernandez da Universidade de Notre Dame analisaram dados de um estudo norte-americano sobre a saúde do adolescente, realizado desde 1994. Ao todo, alunos de 132 escolas e de 80 comunidades participaram.

fonte: Globo.com

Crente não gosta de livro?



Nada legal na Bienal. No último sábado dei uma passadinha na Bienal do Livro, que acontece no Anhembi. Fiquei surpreso ao ver que o stand da Sociedade Bíblica do Brasil era um dos menos visitados. As outras editoras "gospel" também estavam acanhadas. Na hora pensei em três possibilidades:
1.Será que os evangélicos que vão na feira não gostam de ler a Bíblia?
2.Será que os evangélicos não gostam de livros e não vão na feira?
3.Será que quem não é crente não se interessa pelo stand da Bíblia?

Qualquer das opções que seja, revela que nós crestes estamos com algum problema.
Na verdade, acredito que sejam as três coisas:
Crente não gosta de ler nada,a não ser a Bíblia quando o pastor pede no culto. Em alguns casos, tem crente que tem é vontade de queimar alguns livros... Logo, não se interessa pela Bienal do Livro. Por isso, o stand da Bíblia fica quase vazio, já que os "não crentes" não sentem tanta atração pelo Livro.

A desculpa da entrada da feira ser paga não cola. São R$10 e estudante paga $5. Ou vai me dizer que não existe gente pobre que não é crente também.
Se existiam evangélicos (ou até cristãos) naquela feira, eram bem poucos. Ou então preferem visitar outros stands "mais interessantes"...
É engraçado que não ouvi falar de nenhuma igreja, onde os irmãos se organizaram para fazer uma excursão para a feira, como fazem nos shows das bandas gospel. "To fora, que coisa mais chata", devem pensar alguns. "É melhor que não vá, pois existem livros perigosos naquela feira", poderia dizer uma liderança.
Em tempos onde é proibido pensar nas igrejas e o que vale é a palavra do pastor, do bispo, presbítero, apóstolo, o crente é refém do que não concorda (até mesmo sem saber).

Só para contar, até no stand da Fundação Casa (ex-Febem) tinha mais gente do que no da Sociedade Bíblica. Nada contra a fundação, eles têm um trabalho interessante e alguns jovens apresentavam seus talentos no espaço que era menos de 1/4 do tamanho da SBB. Lá alguns deles disputavam partidas de xadrez. É isso mesmo, o público prefere assistir à partidas de xadrez do que visitar o stand da Bíblia.

Mas não parou nisso
Os poucos crentes que visitavam o stand da Sociedade Bíblica, conseguiram me divertir. Em vez de bom dia para cumprimentar o vendedor, diziam: "A paz do Senhor".
Quase tive um surto de riso. Quem disse que todos que vendem produtos evangélicos, necessariamente são evangélicos também. Pro cara, era um emprego normal.
Agora, será que se ele estivesse no stand da Ática ou da editora espírita ele cumprimentaria o vendedor assim?
Será que o crente que trai a esposa (e não me diga que crente não trai), diz a paz do senhor ao levar a amante no cinema(ok estou sendo inocente. Mas vou pegar leve, afinal, é um blog de família)

Claro que não, ninguém sai dizendo "a paz do senhor" para todo mundo que encontra na rua. Isso só revela uma coisa: como nós só enxergamos o nosso próprio umbigo.
Vai um livrinho aí?

quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Protejam seus ouvidos: A verdadeira voz de Britney

Um site de vídeos engraçados chamado Ebaumsworld afirma ter conseguido com exclusividade uma gravação que revela a verdadeira voz de Britney Spears. Segundo ele, o registro abaixo capta o som diretamente do microfone de Britney e expõe o que está por baixo de todos os efeitos e playbacks que a cantora usa.

A gravação teria sido feita em Las Vegas e seus piores momentos estão no vídeo abaixo.Na minha opinião é apenas um brincadeira. Acredite se quiser:

A concepção de Phelps

Humor

GPS Universal do Reino de Deus

Pedro e Maria estão num vôo para a Austrália para umas férias de duas semanas, comemorando seu 40º aniversário de casamento.

De repente, o comandante anuncia pelos alto-falantes:

- Senhoras e senhores, tenho notícias muito ruins. Nossos motores estão parando de funcionar e vamos tentar um pouso de emergência. Por sorte, estou vendo uma ilha não catalogada nos mapas logo abaixo de nós e vamos tentar aterrisar na praia.

Ele aterrisou com êxito, mas avisou aos passageiros:

- Isto aqui é o fim do mundo e é muito provável que a gente não seja resgatado e tenhamos que viver nessa ilha pelo resto de nossas vidas!

Nessa hora, Pedro pergunta para a mulher:

- Maria, você pagou o dízimo da Igreja Universal este mês?

- Ai, me perdoa, Pedro. Eu me esqueci completamente!

Pedro, eufórico, agarra a mulher e tasca o maior beijão de todos os 40 anos de casamento.

A Maria não entende e pergunta:

- Pedro! Por que você me beijou desse jeito?

E ele responde:

- Eles vão nos achar!

quarta-feira, 20 de agosto de 2008

Mangá da Bíblia (II)

Páginas da edição que conta a crucificação de Cristo do mangá inglês. Clique na foto para ampliar.

O mangá da Bíblia

No último final de semana, dei uma passada na Bienal do Livro (que vai até o dia 24 de agosto) e conferi que a editora JBC está lançando a coleção: A Bíblia em Mangá (Holy Manga Bible, no original). A coleção será publicada em dois volumes da série que está conquistando sucesso de público e crítica em vários países.

A versão brasileira da Bíblia em Mangá contará a história de Jesus Cristo com traços orientais, incluindo suas parábolas e os evangelhos. Publicada originalmente no ano passado, na Inglaterra, a obra é uma adaptação das escrituras para uma linguagem didática e interligada o original (por meio de notas de indicações de livro, capítulo e versículo em cada passagem da HQ). O roteiro e os desenhos são dos quadrinhistas ingleses - de origem nigeriana - Siku (2000AD, Judge Dredd, Slaine) e Akinsiku.

No volume O Velho Testamento (168 páginas, R$ 14,90) é contada a história da Criação até o surgimento e o declínio do Povo de Deus. A edição também apresenta páginas com explicações dos autores sobre passagens da obra e diversos extras. E em O Novo Testamento (96 páginas, R$ 9,90), o leitor encontra a história de Jesus Cristo e bônus com entrevista concedida pelos autores, esboços, versões atuais das parábolas cristãs e mais.

Edição inglesa do capítulo em que Moisés abre o mar vermelho(1) e a capa da edição brasileira(2) que conta a luta de Davi contra Golias, no velho testamento.

Livro sobre vida sexual de Tintim censurado

Se depender dos herdeiros do criador de Tintim, o famoso personagem de banda desenhada nunca vai crescer e está condenado a morrer virgem. Em defesa desta causa, os descendentes de Hergé parecem estar dispostos a tudo. Tanto, que não descansaram até conseguir impedir a reedição do livro de ensaios 'El loto rosa' (edições de Ponent), do espanhol António Altarriba, sobre as primeiras experiências sexuais do jovem repórter que, aos 30 anos, se tornou "paparazzi".

Para a Moulinsart, a sociedade que reúne os herdeiros de Hergé, a nova versão da vida de Tintim "perverte a essência do personagem". Com isso não concorda o autor do livro, que foi publicado no ano passado como uma homenagem a Hergé pelo centenário do seu nascimento. Altarriba lamenta o estrito controlo dos herdeiros de Hergé sobre Tintim e diz que a medida abre um importante debate sobre o exercício de um direito legítimo de propriedade intelectual e a censura.

Um Tintim adulto e desencantado

Na versão do autor espanhol, Tintim já não é um rapaz. Completou 30 anos e trocou a profissão de repórter pela de "paparazzi". O mundo à sua volta desmoronou: Haddock, o capitão que andava sempre à procura do bar mais próximo, tornou-se um alcóolico; o professor e cientista lunático Tornesol(professor Girassol no Brasil) foi internado num hospital psiquiátrico; ja 'Milu', o inseparável cachorro forrestier branco, morreu.

Um Tintim adulto, desiludido e longe da imagem de herói da sua juventude, ainda mais nesse contexto, era demais para os herdeiros de Hergé. A agravar a situação, Altarriba decidiu abordar um assunto tabu: a sexualidade do eterno adolescente e a ausência de mulheres na história.

A revisão da vida de Tintim desagradou em cheio à sociedade de herdeiros. Inicialmente, os advogados da Moulinsart tentaram impedir a distribuição do livro, cuja primeira edição de de 1.500 exemplares foi publicada. Depois, quiseram que a cadeia de livrarias FNAC suspendesse a sua venda.

A editora conseguiu que nada disso acontecesse. Até que, no passado mês de Maio, os herdeiros voltaram a bater na mesma tecla, desta vez alegando que apesar de não haver delito a publicação representava uma "perversão" do personagem. O resultado é que os advogados das partes entraram em acordo, comprometendo-se a editora a não reeditar o livro.

'El loto rosa' reúne cinco ensaios que analisam a fundo o personagem e as suas aventuras, ilustrados por Ricard Castells e Hernández Landazábal. No final do livro, o autor imagina a vida de Tintim doze anos depois da morte do seu criador.
Expresso

PS: As Aventuras de Tintin sempre foi um de meus desenhos favoritos. Um cartoon inteligente e histórias bem construídas. Muito diferente destes desenhos de hoje que subestimam
a capacidade intelectual e a imaginação das crianças.

A Primeira piada da história


Piada mais antiga do mundo é de 1900 a.C

Segundo uma pesquisa realizada pela universidade de Wolverhampton, a piada mais velha do mundo surgiu em 1900 a.c. entre os sumérios e diz: "Algo que nunca aconteceu desde o começo dos tempos: uma mulher nunca soltou um pum no colo do marido".

***

E parece que a primeira vaia surgiu no mesmo período.

do Kibeloco

terça-feira, 19 de agosto de 2008

Bocejo canino
























Pesquisadores da Universidade de Londres revelaram que os cães se deixam "contagiar" pelo bocejo do homem. Os cientistas expuseram 29 animais ao estímulo de abrição de boca de sono e 21 cachorros também bocejaram imediatamente. Os pesquisadores acreditam que o "contágio" revela profunda empatia entre as espécies. "Cães têm uma capacidade especial de sentir e captar a comunicação humana", diz o biólogo Atsushi Senju.
da Istoé

segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Peralta?


O vídeo de uma garotinha entrando numa máquina de pegar bichinhos de pelúcia bombou. A menina sobe pelo pequeno espaço onde os prêmios caem e vai para dentro da máquina, na área dos bichinhos. O irmão assiste à cena e chama a mãe, que se assusta ao ver a menina pelo vidro. Ela, então, pede à filha que saia pelo mesmo caminho. As imagens foram gravadas pela câmera de segurança de um restaurante na Carolina do Sul, nos EUA. O vídeo foi visto mais de 300 mil vezes. do Bombou na web

sexta-feira, 15 de agosto de 2008

Homem cria perfil falso no Orkut e vai para a cadeia em Florianópolis












Um advogado foi preso na noite de quarta-feira (13) em Florianópolis, sob suspeita de criar perfis falsos para difamar uma colega de trabalho e o noivo dela. Segundo a Polícia Civil, ele deve ser indiciado sob acusação de falsidade ideológica e difamação.
A prisão, realizada em uma LAN house da cidade, ocorreu após cerca de oito meses de investigação. De acordo com a polícia, o advogado criou três perfis falsos no Orkut --dois com imagens da vítima e um com o noivo dela. No momento da prisão, foi encontrado com o suspeito um CD com fotos das vítimas.
A polícia afirma que o advogado trabalhava com a mulher no Besc (Banco do Estado de Santa Catarina) e ele “provavelmente tinha atração, amor pela vítima”. “Como não era correspondido, ele começou a fazer perfis falsos no Orkut”, diz o investigador André Gustavo da Silveira, do 1º Departamento de Polícia.
Em um deles, o noivo da vítima era colocado como homossexual e em outro, com o nome da funcionária do banco, havia imagens pornográficas. O terceiro perfil, com fotos “normais” da vítima, era utilizado pelo advogado para conversar com outras pessoas no Orkut.
Segundo os investigadores, não houve rastreamento do IP (protocolo de internet) do suspeito durante as investigações. Para chegar ao advogado, a vítima apresentou uma lista de nomes que poderiam ser os responsáveis pela ação. Depois, a polícia comparou o modo de escrever do suspeito em seu perfil verdadeiro e os falsos e afirma ter encontrado muitas semelhanças.
A LAN frequentada pelo sujeito também colaborou com as investigações e monitorou suas ações nos computadores da loja.
É isso aí pessoal... cuidado com os sites de relacionamento. A situação está mudando para melhor na internet: "lugar" que ainda é uma terra sem lei.

Fonte: Folha Online

quinta-feira, 14 de agosto de 2008

Humor de Crente



Bar Atos
Um homem morreu e quando chegou no céu resolveu abrir um bar. Todos os dias ele vendia umas 30 caixas de cerveja. Com o bom andamento do negócio ele pensou:"vou pedir pra ir pro inferno e lá eu abro outro bar. Se no céu tá vendendo assim, imagine no inferno".
Pedido atendido, foi ele abrir seu bar no inferno.

1.º dia: nenhum cliente
2.º dia: nenhuma cerveja vendida
3.º dia: do mesmo jeito.

E assim foram vários dias sem que ele vendesse nenhuma garrafinha. Passando um demônio, ele o chamou e perguntou: "ninguém bebe aqui, não?"
O demônio respondeu: "Não, aqui só tem crente".

Igreja inflável quer atrair jovens na Itália

da BBC
Ao lado de discotecas e bares da orla marítima italiana, um grupo de católicos resolveu instalar uma estrutura desmontável de plástico, com 30 metros por 15, para divulgar a fé cristã aos jovens que freqüentam a noite.
Conhecido por usar métodos de evangelização diferentes para atrair fiéis, como pregar em postos de gasolina nas estradas, discotecas ou bares, o padre Andréa Brugnoli, fundador de uma associação de jovens católicos chamada "Sentinelas do Amanhecer", resolveu disputar a atenção de moças e rapazes que freqüentam a vida noturna do verão italiano com uma "igreja inflável", onde eles poderão se aproximar do cristianismo. "Nem sempre há uma igreja perto dos locais de diversão para acolher os jovens que durante a noite estão em busca de Deus, assim decidimos investir nesta estrutura inflável", disse Brugnoli.

A "igreja" pode ser montada em poucos minutos, não tem teto e as cores são preto e cor-de-rosa. Nela, sacerdotes e jovens da associação - fundada em 2000 com a benção do papa João Paulo 2° - vão receber quem estiver interessado. "É um espaço de oração, silêncio e escuta dos jovens, em lugares muito freqüentados nas noites de verão, como as praias com seus bares na areia. Criamos simplesmente ocasiões de diálogo sobre a fé em Deus e os problemas ligados a ela", disse o religioso à BBC Brasil.

Polêmica
A iniciativa recebeu críticas em blogs e sites católicos italianos, onde alguns fiéis disseram não concordar com a informalidade do projeto. "Os banhistas que desejam ir à missa, vistam-se como fiéis e procurem a igreja mais próxima", sugeriu um comentário no site da diocese de Cagliari, na Sardenha. "Passar de uma arca toda de ouro, com querubins e tabernáculos, para um plástico inflável onde guardar a eucaristia, o mistério dos mistérios, é vulgar", disse outro comentário.

E você? O que acha da igreja e das críticas?

quarta-feira, 13 de agosto de 2008

Phelpslândia?


Se fosse um país, o nadador norte-americano Michael Phelps ocuparia hoje o 4º lugar no quadro de medalhas dos Jogos Olímpicos de Beijing. Phelps já disputou cinco finais nos Jogos Olímpicos da capital chinesa e ganhou a medalha de ouro em todas elas. Ele ainda terá outras três chances de aumentar a coleção. A "Phelpsland" estaria, hoje, atrás somente da China e dos EUA e na frente te potências olímpicas históricas, como Coréia do Sul, Grã-Bretanha, Rússia, França, Alemanha, Austrália e Japão.

quinta-feira, 7 de agosto de 2008

Bono, do U2 fala da Graça de Cristo, da Igreja e dos cristãos




Falando em Bono Vox estou postando uma interessante entrevista do vocalista do U2 ao pastor estadunidense Bill Hybels no "The Leadership Summit 2006". Um envento que congregou mais de 70.000 pastores e lideranças das igrejas de USA.

Beleza americana

quarta-feira, 6 de agosto de 2008

Abaixo-assinado pede que Bono abandone causas sociais


Foi criado na internet um abaixo-assinado virtual pedindo ao vocalista do U2, Bono Vox, que abandone sua militância social e política. A petição está coletando assinaturas e dinheiro(é isso mesmo...) para tentar convencer Bono a se retirar da vida pública. O abaixo-assinado acusa as campanhas do vocalista do U2 de serem mal direcionadas e, por isso, precisariam acabar.

"As iniciativas filantrópicas de Bono são auto-indulgentes e contraproducentes", diz o texto da petição publicado no site da campanha (thepoint.com). "A campanha RED que ele coordenou gastou em marketing 40 milhões de dólares a mais do que arrecadou ao mesmo tempo em que mandou mensagens perigosas aos consumidores", defende a mensagem.

O texto segue acusando o cantor de simplificar a imagem da África para o mundo. "Os líderes da luta mundial contra a AIDS na África não pediram ao Bono que fosse seu frontman. É hora do Bono parar", conclui.

Os organizadores afirmam que o dinheiro arrecadado será doado ao Fundo Global pela Luta Contra AIDS, Tuberculose e Malária quando o objetivo for alcançado.


E eu com isso?
Ok, até concordo que algumas campanhas de artistas como Bono Vox são mais voltadas para o marketing do que para melhorar algo de fato. Mas, chegar ao ponto de criar um abaixo assinado para "exigir" o fim disso e ainda pedir doações, é algo que não entra em minha cabeça. Poderia até defender que não fossem enviados recursos públicos ou da ONU(e suas irmãs Unicef, Unesco e por aí vai...) para as campanhas mal direcionadas e administradas. Isso é uma coisa. Agora, ninguém pode querer obrigá-lo a desistir de fazer o que faz. Se ele é péssimo ao se enveredar no Terceiro Setor isso é problema dele. Na minha opinião quem está reclamando deve ser alguma ONG "concorrente". Acha difícil? Pois saiba que só conheço dois lugares em que o capitalismo é tão ou mais selvagem do que na bolsa de valores. Um é o mercado "gospel" das igrejas. O outro é o Terceiro Setor, com ONGs, institutos e fundações que torram milhares dando peixe e não ensinando a pescar.


Pesquisas apontam redução da pobreza no Brasil


Dois estudos divulgados nesta semana revelaram importantes mudanças nas classes sociais brasileiras, consolidando quase 7 anos de redução da pobreza de forma consistente e aumento crescimento da classe média no País.

IPEA

Um levantamento do Instituto de Pesquisas Econômicas Avançadas (Ipea) revela que o número de pessoas pobres -com renda igual ou inferior a meio salário mínimo- caiu de 35% para 24,1% no período de 2003 a 2008. Segundo a pesquisa, o percentual de pobres nas principais regiões metropolitanas do Brasil caiu 20,9% entre 2002 e 2008, enquanto o porcentual de ricos permaneceu estável.
Em 2002, havia 14.352.753 indivíduos considerados pobres no país (renda igual ou inferior a R$ 207,50). Em 2007 o número caiu para 11.756.563 e a expectativa para 2008 é que 11,3 milhões de pessoas estejam na linha da pobreza.

A melhora foi ainda mais acentuada no percentual de indigentes (quem recebe um quarto do salário mínimo): de 5,57 milhões para 3,12 milhões de pessoas em 2008 - ou uma queda de 43,8%. Ao analisar a outra ponta da população, o levantamento mostra que o número de indivíduos pertencentes a famílias com renda mensal igual ou superior a 40 salários mínimos (R$ 16,6 mil) cresceu de 0,8% para 1%.

A pesquisa Pobreza e riqueza no Brasil metropolitano se baseia em dados do IBGE e analisou seis regiões metropolitanas: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Recife e Salvador. Essas regiões concentram 25,4% da população brasileira, em torno de 17% dos pobres do país e 42% dos ricos, de acordo com dados da Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios).

FGV
Um outro estudo da Fundação Getúlio Vargas (FGV) mostrou que a classe média já representa mais da metade da população brasileira (51,89%). Em 2002, esse número era de 44,19%. A FGV define a classe média como famílias que possuem renda entre R$ 1.064 e R$ 4.591 (R$ 214 a R$ 923 durante o mês por pessoa).
Acompanhando isso, a pesquisa revela que a pobreza diminuiu. Em 2002, a taxa de "miseráveis e remediados" (que representam as classes "D e E"), como menciona a pesquisa, era de 42,82%. Em abril de 2008, o índice caiu para 32,59%.
A pesquisa da FGV levou em conta dados do Ministério do Trabalho e do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).


E então? Você percebeu alguma melhora na situação econômica do País? Você acredita e confia nos números da pesquisa?

terça-feira, 5 de agosto de 2008

Peixeira santa

Humor
Essa é uma história verídica! (dizem... rs). Aconteceu numa cidadezinha lá nos confins da Paraíba.

O dono do circo, em passagem pela cidade, sabendo quão religiosa era sua comunidade, resolveu encenar a PAIXÃO DE CRISTO na Sexta-Feira Santa. O elenco foi escolhido dentre os moradores locais e, no papel principal - de Jesus Cristo, colocaram o cara mais bonito da cidade. Os ensaios iam de vento em popa quando, às vésperas do evento, o dono do circo soube que 'Jesus' estava de caso com sua mulher.

Furioso, o corno deu-se conta que não podia fazer escândalo pois iria por a perder todo o trabalho e o investimento que fizera pra montar a peça. Pensou, pensou...

Na véspera do espetáculo, comunicou ao elenco que iria participar ... fazendo o papel do CENTURIÃO.

- Mas como? - reclamaram todos - Você não ensaiou!

- Não é preciso ensaiar, porque centurião não fala!

(Mesmo sem gostar, o elenco teve que aceitar; afinal, o cara era o dono do show).

Chegou o grande dia. A cidade em peso compareceu. No momento mais solene, a platéia chorosa em profundo silêncio...

Jesus carregando a cruz... e o 'centurião' começa a dar-lhe chicotadas. De verdade.

-Pô, cara, tá machucando - reclamou 'Jesus', em voz baixa .

- É pra dar mais veracidade à cena - devolveu o 'centurião'.

E tome mais chicotada... lept, lept, o chicote comendo solto no lombo do infeliz.

Até que 'Jesus' que já reclamara bastante, enfureceu-se de vez, largou a cruz no chão, puxou uma PEIXEIRA e partiu pra cima do 'centurião':

- Vem, desgraçado! Vem cá que eu vou te ensinar a não bater num indefeso'!

O 'centurião' correndo, 'Jesus' com a peixeira correndo atrás, e a platéia em delírio gritando: "É isso aí! Fura ele, 'Jesus'"! Fura que aqui é Paraíba, não é Jerusalém não'!

segunda-feira, 4 de agosto de 2008

CÉU abre estágio para estudantes de Música

Calma, calma. Não, não são vagas para os corais das hostes celestiais. Ainda não é dessa vez. Os Centros de Educação Unificação (CEUs), da Prefeitura, estão abrindo 26 vagas para estudantes de música que gostariam de auxiliar no ensino de música para jovens e crianças que frequentam as unidades. O Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE) está recrutando estudantes para estagiar em 13 CEUs, participando de um programa de ensino musical e inclusão sociocultural criado pela Secretaria de Estadual da Cultura de São Paulo e gerido pela Santa Marcelina – Organização Social de Cultura.

Podem se inscrever para o processo seletivo alunos do terceiro ao oitavo semestre dos cursos de Licenciatura Plena em Música, Licenciatura em Educação Musical e Educação Artística – Licenciatura Plena em Música.
Os 26 selecionados atuarão no projeto Guri-Santa Marcelina, participando, sob a supervisão de professores, do ensino musical de crianças e jovens matriculados em CEUs de diversos bairros da Capital. O valor da bolsa-auxílio é R$ 600, além de benefícios como vale-transporte, cesta básica e assistência médica.

O estágio terá duração de um ano, com possibilidade de prorrogação e efetivação. Os interessados devem encaminhar currículo para o e-mail adriana_p@cieesp.org.br, com a informação “Vaga para Música”, no campo “Assunto”, até o dia 8 de agosto.

Lei seca diminuiu mortes nas estradas em julho em 14,5%, diz PRF

O balanço da Polícia Rodoviária Federal dos acidentes nas estradas no mês de julho divulgado nesta sexta-feira (1) mostrou uma redução de 14,5% do número de mortes no trânsito na comparação com o mesmo período do ano passado. A PRF atribui a redução à lei seca, que passou a vigorar em 20 de junho. O número de acidentes e de feridos, no entanto, permaneceu estável.
De acordo com o balanço, foram registradas em julho deste ano 530 mortes nas estradas federais contra 620 no mesmo mês de 2007. O número de acidentes em julho de 2008 foi de 10.500 e o de feridos 6.005. No ano passado esses números foram de 10.531 e 6.433.
Apesar disso, em São Paulo o número de acidentes caiu 33% em julho deste ano na comparação com o mesmo mês do ano passado. Estado com a maior malha de rodovias federais, Minas Gerais reduziu em 6% o número de acidente.

sexta-feira, 1 de agosto de 2008

Estado é condenado a pagar indenização à igreja por falta de segurança

A Sétima Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro confirmou sentença de 1ª instância e condenou o Estado do Rio de Janeiro a pagar R$ 7 mil de indenização por danos materiais a uma igreja evangélica carioca.

Cansada de sofrer constantes assaltos, a Igreja Evangélica Congregacional de Parque Modelo, em Niterói (RJ), resolveu entrar com ação na Justiça contra a Administração Pública. Em um dos assaltos mais recentes, todos os aparelhos eletroeletrônicos e instrumentos músicais da sede da igreja foram levados. Segundo a autora, a polícia chegou a ser acionada para prender os criminosos, mas só compareceu ao local aproximadamente uma hora após o arrombamento.

De acordo com relator do processo, desembargador André Andrade, o Estado não comprovou que tenha intensificado o policiamento na região - mesmo após diversas ocorrências - nem que a polícia tenha agido prontamente no momento do arrombamento. "No caso em questão, ficou comprovado que a Igreja tentou por todos os meios minimizar a constante insegurança que a cerca. Mas seus apelos não foram ouvidos por aquele que legalmente estava incumbido do dever de lhe prestar segurança", afirmou.

O magistrado ressaltou ainda ser clara a culpa do Estado, pois é dele o dever legal de impedir que esses crimes ocorram. "Não se trata de transformar o Estado em guardião onipresente, mas de responsabilizá-lo pela negligência na organização do serviço de segurança pública", escreveu no acórdão.

A graça que liberta da religião

“Eu, irmãos, não vos pude falar como a espirituais, mas como a carnais, como a criancinhas em Cristo.
Leite vos dei por alimento, e não comida sólida, porque não a podíeis suportar; nem ainda agora podeis. Leite vos dei a beber, não vos dei comida; porque ainda não podíeis.
porquanto ainda sois carnais; pois, havendo entre vós inveja e contendas, não sois porventura carnais, e não estais andando segundo os homens? Ainda agora não podeis, porque ainda sois carnais. Porquanto havendo entre vós ciúmes e contendas, não é assim que sois carnais e andais segundo o homem?
Porque, dizendo um: Eu sou de Paulo; e outro: Eu de Apolo; não sois apenas homens? Pois se um disser: Eu sou de Paulo; outro, porém: Eu de Apolo; não é assim que sois homens?
Pois, que é Apolo, e que é Paulo, senão ministros pelos quais crestes, e isso conforme o que o Senhor concedeu a cada um? ...Porque ninguém pode lançar outro fundamento, além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo.”
(ICor. 3:1-5, 10)



Desde pequeno, sempre tive orgulho de dizer: “Sou Crente. Presbiteriano, Evangélico, Protestante, Cristão”. Hoje já não posso dizer isso com tanta alegria. No decorrer de minha vida, me deparei (e me decepcionei) com a realidade (distante do evangelho) encontrada nas igrejas locais, nas denominações e até mesmo no “cristianismo”.

Por outro lado, descobri que posso dizer com muita alegria que não me encaixo mais em nenhuma religião. Descobri que que Jesus não quer que sejamos religiosos, pois a religião aprisiona. Ele quer apenas que o adoremos em espírito e em verdade. Explico:
Religião deriva do termo latino "Re-Ligare", que significa uma tentativa da criatura de se "religar" com o divino. Havia também o termo “religio”. Aparentemente no mundo latino anterior ao nascimento do cristianismo, religio referia-se a um estilo de comportamento marcado pela rigidez e pela precisão.

Assim, podemos pensar que religião é uma tentativa do ser humano se conectar novamente com Deus (após ter se distanciado com o pecado), através de ritos, sacrifício e obediência a leis.
Desta forma, religião é o contrário de tudo aquilo que Cristo pregou. Pelo Evangelho, o ser humano não precisa tentar se re-ligar à Deus. Afinal, foi o Próprio Deus que veio ao mundo, criado por Ele, trazendo graça, verdade e salvação para todo aquele que aceitá-Lo. Portanto, qualquer tentativa de tentar se re-ligar (através das religiões) é inútil. Sem falar que desvaloriza a morte de Cristo, pois foi Ele quem se sacrificou para que pudéssemos voltar aos braços do Pai. É como na parábola do Filho pródigo. O filho, arrependido, queria voltar para a casa do pai para ser tratado como um dos empregados e não filho. Ele não se achava digno de ser chamado “filho”.
Mesmo assim, o pai deu uma festa e o presenteou com anel e roupas. Mesmo que o filho não se achasse digno, o pai o dignificou e o justificou pelo amor.
Ser escravo de uma religião é como o filho pródigo: “Sabe-se que não é justo e digno da salvação, e se tenta com um sacrifício (o do filho era ser tratado como empregado) agradar a vontade de Deus para se tornar digno. Deus não precisa e não quer isso. Ele faz como o pai. Já nos justificou na cruz e nos cobriu de graça.

Jesus não criou nenhuma religião. Não fundou nenhuma igreja... não era batista, católico, ortodoxo, pentecostal, nem presbiteriano. Até mesmo o cristianismo não foi ele quem criou. Todas as palavras que terminam com “ismo”, revelam o caráter extremista. Assim, islamismo é ser radical e contra tudo e todos que não são do islã. Isto serve para todas religiões, ideologias ou padrões de viver a vida(judaísmo, budismo, hinduísmo, cristianismo, nazismo, fascismo, comunismo, capitalismo, consumismo, sionismo, anti-semitismo, tradicionalismo, conservadorismo, dogmatismo, humanismo, individualismo...)
Assim, o cristianismo é um fundamentalismo. É uma aberração, deturpação do Evangelho de Cristo.

Hoje existem “igrejas” onde a vida do membro é quase que totalmente, controlada pelo pastor ou “autoridade que está sobre” o crente. Jesus não estabeleceu hierarquia pastoral, apostólica, sacerdotal... nada disso. Eles colocam-se como intermediários entre a pessoa e Deus. Deve-se contar tudo para ele, se confessar para ele, obedecer suas ordens, nunca discordar e por aí vai...
Isto se aplica em pastores, bispos, padres... alguns até se auto-intitulam apóstolos. A subserviência às “autoridades” eclesiásticas chegou ao nível de idolatria. Quando o crente não obedece por ser fã do pastor (também serve para cantor gospel), ele obedece porque tem medo. Então, assim como alguns dizem: “Sou de Paulo. Sou de Apolo”. Outros dizem: “Sou católico. assembleiano, metodista. Sou fã do Diante do Trono, do Baruque, do Adhemar. Sou do lado do Caio Fábio. Sou do Silas Malafaia...”
A igreja evangélica está doente. Olha que nem estou falando dos casos de corrupção, inveja, fofoca, adultério, mentira, coisas que todos estamos sujeitos.
A igreja está escravizada pelas suas próprias vontades e pelos seus “ismos”.
No próximo Censo Nacional do IBGE, quando a pesquisadora me perguntar qual a minha religião, irei dizer: “Não tenho e não quero religião. Quero o Evangelho, pois sou de Cristo”.

Que essa crítica toque no coração de todos, a começar em mim.
Saulo